sábado, 25 de novembro de 2017

TLG 2017 - Gerson Pinto vence Enduro da Capela


A freguesia da Capela recebeu a sétima e penúltima prova da temporada do Troféu Luso Galaico Mota de Monte. Como seria expectável, ficaram-se a conhecer os vencedores de 2017 em algumas classes: Helder Fernandes (Expert), Luís Vasconcelos (Enduro 3), Albano Mouta (Veteranos) e Luís Oliveira (Super Veteranos).

Gerson Pinto foi o grande vencedor do dia, seguido na Geral pelos espanhóis José Lopez e Abel Vidal. Na classe Pro, Gerson dominou os acontecimentos tendo registado o melhor tempo em sete das nove especiais disputadas por esta classe. Na segunda posição, a 1 minuto e 7,38 segundos, ficou Abel Vidal, sendo este o piloto que venceu as outras duas especiais. O degrau mais baixo do pódio ficou para Carlos Moreiras, a 1 minuto e 31,66 segundos.

Gerson Pinto

No que diz respeito às contas do Troféu, João Araújo mantém a vantagem confortável de 25 pontos sobre André Mouta, à partida para a última prova da temporada, o Enduro das Regiões.

A classe Expert foi dominada por 3 espanhóis, José Lopez, José Cacabelos e Pablo Zarazo. Um sexto lugar foi mais do que suficiente para Helder Fernandes garantir a vitória no troféu, com 39 pontos de vantagem sobre o segundo classificado, Márcio Antunes, quando ficam em disputa os 25 pontos da última ronda de 2017.

José Lopez

Com quatro vitórias em seis especiais disputadas, Miguel Fernandes ocupou o primeiro lugar do pódio na Enduro 1, com 26,56 segundos de vantagem sobre Santi Garcia (2 vitórias em especiais) e 1 minuto e 11,24 segundos sobre Sergio Santos.
Com este resultado, Miguel Fernandes realizou uma excelente operação em termos de Troféu, pois com Marcelo Vieira a não conseguir melhor do que o sétimo lugar, inverteram-se as posições no Troféu e é agora Fernandes que lidera com 4 pontos de vantagem. 

Miguel Fernandes

A classe Enduro 2 continua a ser uma das mais espectaculares do Troféu, com grandes lutas pela vitória. Desta feita, foram apenas 6,78 segundos que separaram os três primeiros classificados e 1,12 segundos a diferença que permitiu a vitória de Tiago Oliveira sobre Carlos Pereira. Leandro Ferreira foi o terceiro classificado. Em termos de troféu, são agora cinco pontos que separam os quatro primeiros, pelo que está tudo em aberto para o Enduro das Regiões.

Tiago Oliveira

A Enduro 3 conheceu o seu vencedor do Troféu 2017, Luís Vasconcelos, que terminou o enduro da Capela a 5,27 segundos do primeiro classificado Emanuel Costa. A terceira posição ficou entregue a Filipe Silva.

Emanuel Costa

Nos mais novos, a classe Juniores, Gonçalo Sabrosa bateu Daniel Branco pela primeira vez na temporada, piloto que trazia para a Capela três vitórias nas três últimas provas. Depois de começar o dia com um sétimo lugar na primeira especial (CT1), Sabrosa venceu as restantes cinco e garantiu uma vitória confortável de 45,37 segundos sobre Branco. Emanuel Costa Jr concluiu a prova na terceira posição, a 55,23 do vencedor.

Gonçalo Sabrosa

Nos Veteranos, Albano Mouta garantiu a conquista do Troféu e da melhor forma possível, ou seja, com um triunfo. Jorge Araújo terminou na segunda posição e José Ferreira foi terceiro.

Albano Mouta

Os Super Veteranos também conheceram o vencedor do Troféu 2017 e foi ele Luís Oliveira. A prova foi ganha por Jorge Almeida.

Jorge Almeida

Rui Cunha venceu a Promoção pela quarta vez, batendo Sérgio Silva por 17,93 segundos. Estes dois pilotos são também os dois primeiros no Troféu e estão agora separados por 11 pontos.

Rui Cunha

Video:
Ficou assim concluída mais uma etapa do Troféu Luso Galaico Mota de Monte e segue-se agora no dia 17 de Dezembro a emblemática prova do Enduro das Regiões, onde os pilotos pontuam também por cidade, independentemente da sua classe ou equipa.


Fotos: One Shot Foto, PM-Images e Repórter Soneca

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Roof of Africa 2017 - Wade Young vence 50ª edição


O piloto sul-africano da Sherco venceu com mais de 11 minutos de vantagem sobre o segundo classificado e compatriota, Travis Teasdale;
Sandra Gomez fez história ao ser a primeira mulher a terminar a prova, conquistando o 30º lugar final;
Vencedor em 2015 e 2016, Graham Jarvis terminou a edição 2017 na 3ª posição. O britânico juntou este resultado ao pódio de Erzberg e às vitórias na Minas Riders, Romaniacs e Sea to Sky, sendo assim o melhor na Red Bull Hard Enduro World Series 2017;
Alfredo Gomez foi 5º atrás de Gutzeit e Mário Roman não foi além do 8º lugar, depois de ter visto a corrente da sua moto partir no 2º dia.

Resultados:
1. Wade Young (Sherco) 10:41:28
2. Travis Teasdale (KTM) 10:52:34
3. Graham Jarvis (Husqvarna) 11:04:06
4. Blake Gutzeit (Yamaha) 11:06:36
5. Alfredo Gomez (KTM) 11:13:15
6. Manuel Lettenbichler (KTM) 11:19:25
7. Scott Bouverie (KTM) 11:19:35
8. Mario Roman (Sherco) 11:23:05
9. Andreas Lettenbichler (KTM) 11:30:58
10. David Cyprian (KTM) 11:57:10

Videos:

Foto: Organização

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Entrevista a Vera Dias


Entrevista realizada pela Comissão Feminina da FMP

A preparar já a nova época de Enduro, fomos conversar com a piloto Vera Dias, uma jovem promissora da modalidade.
Vera, de 30 anos, é Auxiliar de Acção Médica de profissão e piloto de paixão.

FMP: És um ótimo exemplo para todas as senhoras de que se pode começar uma modalidade em qualquer altura e ser bem sucedida. Queremos saber como começou a paixão pelas duas rodas?
VD: Sempre gostei de motas desde pequena, no entanto nunca tinha visto uma prova de Enduro nem conhecia ninguém que praticasse a modalidade. O Enduro surgiu recentemente na minha vida e só há cerca de 4 anos é que comprei a minha primeira mota.

FMP: E a competição, como começou?
VD: Fiz a minha primeira corrida há cerca de 2 anos. Meio que em brincadeira, incentivada pelo grupo com quem comecei a andar e sem qualquer noção que o resultado poderia ser tão positivo. Desde aí tomei o gosto pela competição.

FMP: Qual foi a primeira corrida em cada modalidade que praticas/praticaste?
VD: Até ao momento só pratico Enduro, a primeira corrida foi no Troféu Luso Galaico.

FMP: Que mota tinhas? E que mota tens agora?
VD: Era uma AJP Pr3 200 e agora corro com uma KTM 250-F

FMP: Qual foi o maior sucesso até hoje?
VD: Ter alcançado o lugar mais alto do pódio no ano passado no Campeonato Nacional de Enduro em Gouveia que se realizou junto com o Campeonato Mundial.

FMP: Houve alguns momentos mais marcantes, pela positiva ou negativa, até hoje?
VD: Tenho dois momentos marcantes, o que referi há pouco, não só por ter conseguido o primeiro lugar mas também por ser o primeiro ano no Campeonato e ser um mundo totalmente novo e desconhecido para mim; marcou-me também ter ido correr ao Brasil no Enduro FIM Feminino e ter alcançado o terceiro lugar do outro lado do Atlântico.
Não tenho assim nenhum momento negativo em especial, talvez por ser uma modalidade ainda recente para mim.

FMP: Que conselhos darias a ti própria se estivesses agora a começar ou a sonhar com a competição?
VD: Nunca desistir dos nossos sonhos, nada é errado se nos faz feliz.


FMP: Quais são as maiores dificuldades que tens para poder competir?
VD: Sem dúvida a falta de apoios, como todos nós sabemos é um desporto caro e a competição exige um nível financeiro alto, eu tento o meu melhor, que nem sempre é fácil, tendo começado sem qualquer conhecimentos, sem ninguém ligado à competição torna-se muito mais difícil para mim.

FMP: Onde achas que alguém que está agora a começar deve ir procurar apoios?
VD: Bem!! Esta é uma pergunta difícil para mim, ainda é a minha maior dificuldade. Eu tento procurar apoios em cada esquina, um café, um restaurante, uma associação, toda a ajuda é bem vinda, apesar de ter conseguido bons resultados não é, nem está fácil, conseguir reunir as condições necessárias para poder garantir a minha participação na próxima época do Campeonato Nacional de Enduro.

FMP: Quais os planos para a próxima época e o futuro?
VD: Conseguir participar na integra no campeonato nacional de Enduro e lutar por um lugar final no pódio.
No futuro, representar Portugal nos Six days… O meu maior sonho seria o Rally Dakar.

FMP Comissão Feminina

domingo, 5 de novembro de 2017

Hixpania Hard Enduro 2017 - Vitória para Jarvis


Resultados:
1. Graham Jarvis (Husqvarna) 
2. Jonny Walker (KTM) 
3. Alfredo Gomez (KTM) 
4. Billy Bolt (Husqvarna) 
5. Mario Roman (Sherco)

Videos:

Foto: Husqvarna Motorcycles

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Luís Oliveira muito perto da vitória na 31ª Edição Baja Portalegre 500


A 31ª edição da mais mediática prova todo-o-terreno em solo português realizou-se nos passados dias 26, 27 e 28 de Outubro. A edição 2017 da Baja Portalegre 500 à semelhança da edição passada contou com um desfile de pilotos na quinta-feira à noite, bem no centro da cidade de Portalegre. Foram muitos aqueles que compareceram no Alto Alentejo para apoiarem Luís Oliveira. Regressado do Brasil e bastante motivado, o piloto de Sintra trazia na “bagagem” mais dois títulos de enduro, sendo ainda um candidato à vitória nas rápidas pistas alentejanas – vencedor das duas últimas edições.

No primeiro dia de competição, num prólogo com aproximadamente quatro quilómetros na Herdade das Coutadas, Luís Oliveira demonstrou um excelente andamento aos comandos da sua Honda CRF 450 RX – 2º melhor tempo a apenas 2 segundos do líder de prova. Já nos 76 km´s realizados na tarde de sexta-feira, o piloto apesar de ter sentido algumas dificuldades de visibilidade com o muito pó, garantiu novo 2º lugar - +11 segundos.

No derradeiro dia de competição e totalmente ao ataque, Luís Oliveira demonstrou todo o seu potencial e ganhava segundos importantes ao seu mais direto adversário. Infelizmente e já com apenas 50 km´s por cumprir, um problema eléctrico condicionava a progressão do piloto, que apenas conseguiu “segurar” o segundo lugar final.

No final no Crato, Oliveira comentou: “Esta prova de uma forma geral correu bem. Dei o meu melhor, apesar de ter a perfeita noção que tive pouco tempo para preparar esta baja. Foi uma prova exigente, com um piso bastante duro e muito pó. Mesmo não tendo garantido a terceira vitória consecutiva, penso que terminei o ano de uma forma positiva. Na fase final da prova, tive um pequeno contratempo com a mota, tendo sido impossível lutar pela vitória. Aproveito para agradecer a todos aqueles que me apoiaram para estar em Portalegre, em especial aos mecânicos que trabalharam arduamente para que tudo estivesse a 100%, mas as corridas são mesmo assim. Um abraço enorme para todos os que me apoiaram ao longo de tantos quilómetros”.

E no bonito palco de Portalegre, termina assim mais uma temporada bastante competitiva para o piloto que recentemente se sagrou novamente Campeão Brasileiro de Enduro. Luís Oliveira apesar das vitórias, teve um ano duro, com algumas lesões, no entanto demonstrou uma vez mais o porquê de ser um dos mais rápidos pilotos portugueses da atualidade.

Texto: Evo-press
Fotos: Photo Tiago Pires