quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Entrevista a Vera Dias


Entrevista realizada pela Comissão Feminina da FMP

A preparar já a nova época de Enduro, fomos conversar com a piloto Vera Dias, uma jovem promissora da modalidade.
Vera, de 30 anos, é Auxiliar de Acção Médica de profissão e piloto de paixão.

FMP: És um ótimo exemplo para todas as senhoras de que se pode começar uma modalidade em qualquer altura e ser bem sucedida. Queremos saber como começou a paixão pelas duas rodas?
VD: Sempre gostei de motas desde pequena, no entanto nunca tinha visto uma prova de Enduro nem conhecia ninguém que praticasse a modalidade. O Enduro surgiu recentemente na minha vida e só há cerca de 4 anos é que comprei a minha primeira mota.

FMP: E a competição, como começou?
VD: Fiz a minha primeira corrida há cerca de 2 anos. Meio que em brincadeira, incentivada pelo grupo com quem comecei a andar e sem qualquer noção que o resultado poderia ser tão positivo. Desde aí tomei o gosto pela competição.

FMP: Qual foi a primeira corrida em cada modalidade que praticas/praticaste?
VD: Até ao momento só pratico Enduro, a primeira corrida foi no Troféu Luso Galaico.

FMP: Que mota tinhas? E que mota tens agora?
VD: Era uma AJP Pr3 200 e agora corro com uma KTM 250-F

FMP: Qual foi o maior sucesso até hoje?
VD: Ter alcançado o lugar mais alto do pódio no ano passado no Campeonato Nacional de Enduro em Gouveia que se realizou junto com o Campeonato Mundial.

FMP: Houve alguns momentos mais marcantes, pela positiva ou negativa, até hoje?
VD: Tenho dois momentos marcantes, o que referi há pouco, não só por ter conseguido o primeiro lugar mas também por ser o primeiro ano no Campeonato e ser um mundo totalmente novo e desconhecido para mim; marcou-me também ter ido correr ao Brasil no Enduro FIM Feminino e ter alcançado o terceiro lugar do outro lado do Atlântico.
Não tenho assim nenhum momento negativo em especial, talvez por ser uma modalidade ainda recente para mim.

FMP: Que conselhos darias a ti própria se estivesses agora a começar ou a sonhar com a competição?
VD: Nunca desistir dos nossos sonhos, nada é errado se nos faz feliz.


FMP: Quais são as maiores dificuldades que tens para poder competir?
VD: Sem dúvida a falta de apoios, como todos nós sabemos é um desporto caro e a competição exige um nível financeiro alto, eu tento o meu melhor, que nem sempre é fácil, tendo começado sem qualquer conhecimentos, sem ninguém ligado à competição torna-se muito mais difícil para mim.

FMP: Onde achas que alguém que está agora a começar deve ir procurar apoios?
VD: Bem!! Esta é uma pergunta difícil para mim, ainda é a minha maior dificuldade. Eu tento procurar apoios em cada esquina, um café, um restaurante, uma associação, toda a ajuda é bem vinda, apesar de ter conseguido bons resultados não é, nem está fácil, conseguir reunir as condições necessárias para poder garantir a minha participação na próxima época do Campeonato Nacional de Enduro.

FMP: Quais os planos para a próxima época e o futuro?
VD: Conseguir participar na integra no campeonato nacional de Enduro e lutar por um lugar final no pódio.
No futuro, representar Portugal nos Six days… O meu maior sonho seria o Rally Dakar.

FMP Comissão Feminina

Sem comentários: