segunda-feira, 26 de outubro de 2015

CNTT 2015 - Portalegre sagrou campeões

António Maio

Realizou-se neste fim-de-semana a 29ª edição da Baja de Portalegre, a mais antiga prova do TT nacional e que mais uma vez se revelou como a ronda mais concorrida do campeonato com uma lista de inscritos onde estiveram mais de duas centenas de pilotos entre as três divisões em prova: motos, moto 4 e UTV/Buggy.

Durante dois dias de intensa competição os pilotos enfrentaram pouco menos de 450 quilómetros contra o cronómetro, num novo formato de prova que levou a caravana a cumprir mais quilómetros no primeiro dia – cerca de 90 divididos pelo prólogo (5) e um primeiro sector selectivo (85) – e no segundo dia um longo sector com uns mais generosos e decisivos 350 quilómetros.

António Maio apresentou-se em Portalegre ainda a recuperar de uma intervenção cirúrgica à clavícula esquerda que motivou a sua ausência na ronda anterior do campeonato e logo no prólogo adoptava uma toada calma mas suficiente para cumprir com o seu objectivo principal para a prova, alcançar o título nacional. Luís Oliveira foi o primeiro líder da Baja mas no sector da tarde Mário Patrão assumiu a primeira posição que segurou até uma queda antes da terceira zona de assistência já no derradeiro dia de prova. Patrão estava na frente de Luís Oliveira, que depois de ser terceiro no final do primeiro dia recuperou a segunda posição por troca com Sebastian Buhler ainda no primeiro terço dos 350 quilómetros do derradeiro sector selectivo.

 
Luís Oliveira

A queda de Mário Patrão atrasou de forma irremediável o piloto de Seia – que perdeu muito tempo para retirar a sua moto do buraco em que ficou – e abriu caminho para que Luís Oliveira terminasse na primeira posição a 29ª edição da Baja de Portalegre, quebrando desta forma a série de vitórias de Maio e Patrão 12 anos depois de Sandro Marcos ter vencido a prova. Patrão cruzou a linha de chegada em segundo com 26 segundos de diferença para Oliveira, com Sebastian Buhler a ser o terceiro classificado a mais de 11 minutos.

A quarta posição final de António Maio permitiu ao piloto de Évora somar os pontos necessários para ser campeão nacional absoluto da especialidade, com Gustavo Gaudêncio a ser o campeão nacional na classe TT1 e Fausto Mota em TT3, a classe das motos de maior cilindrada.


Classificação final:
1º Luis Oliveira – Yamaha com 5h09m29.00s
2º Mário Patrão – KTM a 26s
3º Sebastian Buhler – Yamaha a 11m03.00s
4º António Maio – Yamaha a 13m28.00s
5º David Megre – KTM a 19m05.00s
6º Gustavo Gaudêncio – Honda a 21m07.00s
7º Ricardo Martins – Yamaha a 29m50.00s
8º Fausto Mota – KTM a 30m42.00s
9º Salvador Vargas – KTM a 32m30.00s
10º Pedro Oliveira – Honda a 34m17.00s


Texto: FMP
Fotos: ACP Motorsport

Sem comentários: