Últimas notícias

Daniel Dominguez venceu em Valongo

Valongo recebeu no passado domingo a 2ª prova do Troféu Luso Galaico 2016, que contou com a presença de aproximadamente 250 pilotos.

Após vitória portuguesa por parte de Adelino Sousa na primeira prova em Gondomar, desta feita foi o espanhol Daniel Carracedo Dominguez que garantiu o triunfo na Geral e respectiva classe Pro. João Ribeiro terminou na segunda posição, a 39,98 segundos. O terceiro posto da classe ficou nas mãos de André Mouta, a 1.19,47 do vencedor, piloto que lidera agora o troféu.

Daniel Dominguez

A classe Expert esteve ao rubro, com Helder Ribeiro, Norberto Teixeira e Gerson Pinto a discutirem entre si a vitória. Gerson Pinto comprometeu a sua prova na primeira passagem pela Cross Teste pelo que, apesar ter ocupado constantemente os lugares cimeiros da tabela de tempos, deixou inevitavelmente a luta pela vitória final entregue aos seus dois mais directos adversários.
O primeiro lugar acabou por ser conquistado por Ribeiro, com apenas 2,62 segundos de vantagem sobre Teixeira. Gerson Pinto terminou em terceiro, a 17,52 segundos do vencedor.
À sua vitória, Helder Ribeiro juntou o 3º lugar final na Geral, o que mostra bem o andamento dos pilotos nesta classe.
Em termos de troféu, Norberto Teixeira lidera com 47 pontos, seguido de Pedro Durães e Márcio Barbosa, ambos com 36.

Helder Ribeiro

Hugo Pinto venceu a classe Enduro 1, batendo Miguel Fernandes por apenas 9,31 segundos. Adriano Marques foi terceiro, a 34,98 do vencedor.
Mário Paiva juntou ao terceiro lugar obtido na primeira prova, um sexto lugar em Valongo e assumiu a liderança da tabela pontos nesta classe.

Hugo Pinto

Na Enduro 2, Carlos Skinas voltou a ser o piloto mais forte e repetiu a vitória alcançada em Gondomar. Com este resultado e com apenas duas provas realizadas, Skinas já tem uma confortável vantagem de 22 pontos sobre os seus adversários.

Carlos Skinas

Duarte Mota foi o vencedor da classe Enduro 3, batendo Leonel Mendes por 12,34 segundos. Samuel Almeida terminou na terceira posição, a 49,83 do vencedor. 
Leonel Mendes mantém a liderança na classificação da classe, no que diz respeito ao troféu.

Duarte Mota

Nos Juniores, António Gonçalves e Diogo Parente voltaram a dar nas vistas, com bons tempos registados à geral. Gonçalves desta vez não deixou os seus créditos por mãos alheias e, após segundo posto em Gondomar, impôs-se a Parente por 32,97 segundos. Não fosse o tempo perdido na primeira passagem pela Extreme Teste e a vitória seria mais expressiva. Os dois pilotos estão agora empatados na tabela de pontos do troféu e resta saber se Parente irá encontrar a velocidade extra que lhe permitirá dar mais luta a Gonçalves.
Luís Gonçalves terminou em terceiro, a 1.22,56 do vencedor.

António Gonçalves

Albano Mouta voltou a impôr-se nos Veteranos e venceu com uma vantagem quase idêntica à da primeira prova sobre o segundo classificado, Nuno Freitas. Foram 15,95 segundos que separaram os dois pilotos, depois de uma diferença de 16,1 segundos na primeira etapa do Troféu. 
De destacar o andamento verificado nesta classe, com os 2 primeiros a "visitarem" regularmente o top 25 da tabela de tempos.
O terceiro lugar ficou nas mãos de César Vieira, a 56,38 de Mouta.

Albano Mouta

Nos Super Veteranos, Aníbal Soares também repetiu a vitória alcançada em Gondomar e é, sem dúvida, o homem a bater nesta classe. Foram uns expressivos 81 segundos que o separaram do segundo classificado - Luís Oliveira - diferença esta, recorde-se, conquistada em 5 especiais (2 voltas, a primeira passagem na ET não contou). João Almeida ocupou o degrau mais baixo do pódio. 

Aníbal Soares

Na Promoção, Ivo Cardoso foi o melhor, batendo Filipe Vaz por 29,32 segundos. Na terceira posição, ficou Rui Soares, a pouco mais de 4 segundos do segundo classificado. Carlos Ferreira lidera o troféu, tendo terminado esta prova na 4ª posição. 

Ivo Cardoso

Nas Senhoras, Vera Dias repetiu o triunfo conseguido em Gondomar. Sónia Cancela concluiu a prova na segunda posição.

O troféu prossegue no dia 13 de Março em Valpedre, Penafiel, onde terá lugar o 1º Cross Country da história do Troféu Luso Galaico Mota de Monte. 
Uma nova vertente, onde se pretende que os pilotos, principalmente aqueles que vivem os seus primeiros tempos de competição, experimentem as sensações do Cross-Country, onde é fundamental "acertarem" com o seu próprio ritmo, numa prova de resistência em que o cronómetro estará sempre a contar durante 2 horas. 
Um novo desafio para quem nunca experimentou e onde se aprende muito, tanto no que diz respeito à nossa técnica de condução, como às nossas capacidades físicas e mentais.




Fotos: One Shot Foto e PM-Images

Sem comentários