domingo, 31 de agosto de 2014

Ruben Faria em 4º na última etapa dos Sertões


Ruben Faria fechou hoje em Belo Horizonte a sua participação no Rally dos Sertões 2014. Aos comandos da sua KTM 450 Rally oficial o piloto de Olhão conseguiu na derradeira etapa da prova um brilhante quarto posto, demonstrando toda a sua reconhecida rapidez e ascendendo mesmo ao oitavo posto final na classificação geral da prova, posição que nem mesmo uma penalização de 13 minutos retirou ao algarvio.

Hoje os pilotos cumpriram um derradeiro sector selectivo com pouco menos de 126 quilómetros, derradeira especial onde Faria assinou o quarto posto a cerca de 3 minutos e minutos e meio do piloto mais rápido, fechando o rally em oitavo (seria sexto sem os 13 minutos de penalização).

‘Foi uma excelente forma de fechar o rally. Hoje saí mais atrasado que em dias anteriores depois da posição menos positiva de ontem e ataquei desde o início. Rapidamente passei outros pilotos e imprimi um ritmo forte mas sem exagerar. Tal como na Sardenha fecho de forma positiva esta prova e foi pena os 13 minutos de penalização, pois seria o sexto classificado. Globalmente faço um balanço positivo da prova, no ano passado abandonei devido a uma queda e este ano consegui chegar ao final o que é sempre muito bom. Agora é tempo de começar a pensar no Rally de Marrocos, a última prova do campeonato do mundo, onde me sinto mais à vontade que nas pistas estreitas aqui do Brasil.’

Ruben Faria cumpre assim a totalidade dos seus objectivos neste Rally dos Sertões 2014, quinta prova do campeonato do mundo que foi ganha pelo colega de equipa do algarvio, o espanhol Marc Coma. A derradeira prova do campeonato realiza-se em Marrocos entre os dias 3 e 9 de Outubro.

Hype Communications

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

AMA Endurocross 2014 - Atlanta

1.Taddy Blazusiak-KTM
2.Cody Webb-Beta
3.Colton Haaker-Honda
4.Taylor Robert-KTM
5.Geoff Aaron-KTM
6.Kyle Redmond-KTM
7.Max Gerstson-Beta
8.Ty Tremaine-KTM
9.Wally Palmer-Christini
10.Bobby Prochnau-KTM

Dia complicado para Ruben Faria


Não foi fácil o penúltimo dia do Rally dos Sertões para Ruben Faria. Na segunda metade da etapa-maratona o piloto de Olhão não teve um dia fácil e acabou mesmo por descer na classificação geral, ocupando agora o nono posto quando falta apenas mais uma etapa para terminar este Rally dos Sertões 2014. Com o sexto lugar na sua posse esta manhã no arranque para os 179 quilómetros da especial que começou e acabou em Diamantina, Faria acabou por não conseguir melhor que o 10º posto no dia, caindo três posições na tabela classificativa.

‘Não foi nada fácil este penúltimo dia de prova. A especial era muito rápida e mais uma vez chegar aos adversários era muito complicado com o pó que se levanta. Arrisquei um pouco na fase inicial mas como fizemos etapa maratona cedo percebi que não tinha o pneu traseiro nas melhores condições por estar já um pouco desgastado. Após duas saídas de pista optei por baixar o meu ritmo e nessa fase saí novamente de pista e fiquei preso num buraco. Nada de grave se fosse um dia mais longo, mas numa especial curta o tempo perdido no final acabou por me fazer baixar na classificação. Foi pena...mas as corridas são mesmo assim.’

Ruben Faria espelhava a desilusão no final desta jornada, restando apenas uma etapa para fechar a prova a recuperação será quase impossível em condições normais, mas Ruben Faria não perde a esperança de pelo menos recuperar até Belo Horizonte algum do tempo que hoje perdeu.

‘A minha moto tem estado impecável e conto com ela para amanhã. O resultado está quase feito mas ainda posso ser oitavo. É isso que vou procurar atingir amanhã na chegada a Belo Horizonte.’

Amanhã os pilotos presentes no Rally dos Sertões enfrentam a derradeira etapa da prova, com partida de Diamantina e chegada a Belo Horizonte. Serão 337 quilómetros para percorrer, dos quais 126 serão cronometrados.

Hype Communications

Paulo Gonçalves vence penúltima etapa e mantém luta pela vitória


(Clique para ampliar)


Hélder Rodrigues em luta pelo pódio


(Clique para ampliar)


quinta-feira, 28 de agosto de 2014

4º lugar para Hélder Rodrigues em etapa muito dura


(Clique para ampliar)


Sexto lugar no dia mais longo para Ruben Faria


A edição 2014 do Rally dos Sertões no Brasil cumpriu hoje a sua quinta etapa com ligação entre São Francisco e Diamantina, bem no coração do estado de Minas Gerais. Aos comandos da sua KTM Rally 450 Ruben Faria cumpriu a totalidade dos mais de 645 quilómetros da etapa, a mais longa da prova, com uma especial cronometrada a rondar os 336 quilómetros. No final de um longo dia o piloto de Olhão conseguiu a sexta posição na etapa, ocupando idêntica posição em termos de classificação geral da competição.

‘Foi mais um dia longo e muito semelhante ao de ontem. Zonas bastante rápidas, navegação e muita condução. Diverti-me bastante ao longo de todo o dia e sem cometer erros de navegação acabei por terminar na mesma posição em que partimos. É muito complicado conseguirmos anular diferenças em termos de tempo e isso mais uma vez ficou claro. Com o pó que se levanta nas pistas é muito complicado andar mais depressa. Por isso estou satisfeito e quero acima de tudo levar a minha prova até ao final.’

A dureza dos Sertões foi evidente novamente neste quinto dia, depois de no dia de ontem cerca de 30% dos 112 veículos que alinharam à partida para a quarta etapa terem abandonado, devido a problemas mecânicos, quedas ou acidentes. Este Rally dos Sertões continua assim a revelar-se exigente e deverão verificar-se mais alguns abandonos entre os que hoje iniciaram a etapa rumo a Diamantina.

Amanhã os pilotos enfrentam a penúltima etapa, com partida e chegada a Diamantina, num dia novamente curto, com pouco mais de 204 quilómetros dos quais cerca de 179 serão de especial cronometrada. Ruben Faria está sólido na sexta posição e apesar de continuar a pensar numa posição entre os cinco primeiros o objectivo principal continua a ser não correr riscos desnecessários rumo a Belo Horizonte, onde termina a prova no Sábado.

Hype Communications

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Nova vitória de Paulo Gonçalves na quarta etapa do Rally dos Sertões


(Clique para ampliar)


Hélder Rodrigues em 3º lugar


(Clique para ampliar)


Ruben Faria seguro na sexta posição


Ruben Faria cumpriu hoje a quarta etapa do Rally dos Sertões 2014 e manteve a sexta posição da classificação geral na prova. Aos comandos da sua KTM Rally 450 oficial o piloto de Olhão cumpriu em pleno os seus objectivos naquela que foi a mais longa especial cronometrada da prova com os seus 364 quilómetros de extensão num dia em que a caravana ligou Paracatu a São Francisco num total de 585 quilómetros.

No final do longo dia o piloto algarvio foi o sétimo classificado depois de uma etapa em que mais uma vez não quis correr riscos que podem ser fatais a qualquer momento numa prova tão especial como é o Rally dos Sertões. As pistas mais sinuosas, com passagens por vedações e piso escorregadio são imagens de marca da prova e com um nível tão elevado entre os pilotos da frente tentar recuperar tempo perdido obriga assumir riscos que não interessam ao piloto nem à própria equipa. Neste quarto dia a caravana encontrou também algumas zonas com piso de areia (Jalapão mineiro) e após uma fase inicial muito rápida após a primeira centena de quilómetros as pistas ficam mais sinuosas e muito exigentes do ponto de vista da navegação.

‘Foi um dia longo, com muito pó e zonas tipicas dos Sertões que podem ser bastante traiçoeiras. Tal como ontem encontrei o meu ritmo e desenhei a minha corrida de acordo com as condições de piso, que está bastante seco e levanta bastante pó à passagem dos pilotos. No grupo da frente o andamento está muito elevado e é muito complicado recuperar, para o fazermos corremos riscos e uma travagem falhada ou uma saída de pista pode mesmo significar um ponto final na prova. Não é isso que procuro, quero estar na linha de chegada porque acima de tudo esta prova serve para preparar o Dakar. O quarto lugar está a cerca de cinco minutos, mas o principal objectivo é mesmo chegar ao final.’

Palavras de Ruben Faria no final da quarta etapa da prova e antes daquele que será o mais longo dia da competição, mesmo se a especial agendada para amanhã é mais curta que a realizada hoje. Amanhã os pilotos terão uma etapa igualmente longa, entre São Francisco e Diamantina, com um total superior aos 645 quilómetros dos quais 336 serão cronometrados.

Hype Communications

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Paulo Gonçalves segura o segundo lugar provisório nos Sertões


(Clique para ampliar)


Hélder Rodrigues mantém 4º lugar


(Clique para ampliar)


Dia longo em segurança para Ruben Faria


Após a segunda etapa do Rally dos Sertões ter sido encurtada em mais de metade do seu percurso original, Ruben Faria e todos os pilotos presentes na quinta prova do campeonato do mundo de Cross-Country e Rallies cumpriram hoje a primeira etapa realmente longa, com mais de 200 quilómetros de troço cronometrado na ligação entre Catalão e Paracatu, com a caravana a entrar igualmente no estado de Minas Gerais.

À semelhança do que aconteceu nos dias anteriores a especial foi tipicamente brasileira, com muita de fazenda com vedações, portões, ribeiros e bastante pó, o que dificulta sempre a progressão dos pilotos. Sendo igualmente o primeiro dia realmente longo Ruben Faria imprimiu um ritmo constante mas sem correr demasiados riscos que possam prejudicar a segunda metade deste Rally dos Sertões 2014, conseguindo no final da jornada aproximar-se mesmo do quinto classificado.

‘Foi um dia em que a opção foi mesmo reduzir os riscos. Desde o início que imprimi um ritmo rápido mas seguro para não arriscar nenhuma queda que me atrasasse ou colocasse mesmo em perigo a minha continuidade na prova. Aqui qualquer erro paga-se caro e sei disso por experiência própria – Ruben Faria abandonou a prova em 2013 devido a uma queda – por isso não quis arriscar antes das duas especiais mais longas. Mesmo assim recuperei terreno para o quinto classificado, mas numa corrida em que as diferenças são tão curtas não é fácil dada a rapidez do lote de pilotos da frente. Mas estou bem fisicamente e penso que os próximos dois dias serão decisivos para todos.’

Amanhã Ruben Faria enfrenta a quarta etapa deste Rally dos Sertões 2014, com a ligação entre Paracatu e São Francisco a ditar mais de 363 quilómetros de especial, a mais longa da prova brasileira neste ano.

Hype Communications

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Vitória de Paulo Gonçalves na segunda etapa do Rally dos Sertões


(Clique para ampliar)


Hélder Rodrigues mantém-se nos lugares da frente


(Clique para ampliar)


Ruben Faria sobe a sexto nos Sertões


Ruben Faria conseguiu hoje na segunda etapa do Rally dos Sertões conquistar uma posição na classificação geral. Na ligação entre Caldas Novas e Catalão o piloto da KTM mostrou rapidez e andamento constante que lhe permitiu fechar este segundo dia na quinta posição da classificação da etapa subindo assim ao sexto posto da classificação geral da prova, que continua a ser liderada pelo seu colega Marc Coma.

Originalmente com pouco mais de duas centenas de quilómetros ao cronómetro, esta segunda etapa do Rally dos Sertões foi encurtada pela organização por questões de segurança, um corte substancial que tornou o dia bastante mais curto, com os pilotos da frente a demorarem pouco mais de 45 minutos a cumprir a especial desenhada pela organização.

Na chegada a Catalão, conhecida como a ‘Terra dos Rios ou ‘Cidade das Flores’, Ruben Faria acabou ser o quinto mais veloz, subindo à sexta posição da geral a cinco minutos e cinquenta segundos do líder, o seu colega de equipa Marc Coma.

‘O dia acabou por ser muito mais curto que o previsto. Esta era a primeira especial a sérior segundo a organização, mas tiveram que a encurtar por questões de segurança. Fizemos apenas a parte mais sinuosa e menos rápida, entre árvores e a exigir mais navegação e atenção com a condução. A parte final era mais a meu gosto, rápida e a exigir mais precisão nas trajectórias, com alguns ribeiros para atravessar, mas não a fizemos. O dia acabou por ser curto, mas positivo, pois ganhei mais um lugar e estou com uma diferença curta para os lugares de pódio. Amanhã espera-se uma etapa longa que pode trazer alterações na classificação.’

Ruben Faria e todos os pilotos presentes neste Rally dos Sertões enfrentam amanhã a terceira etapa da prova, entre Catalão e Paracatu, etapa que marca a entrada no estado de Minas Gerais. No total serão pouco mais de 360 quilómetros de etapa dos quais quase 210 serão cronometrados.

Hype Communications

domingo, 24 de agosto de 2014

Paulo Gonçalves foi terceiro na primeira etapa do Rally dos Sertões


(Clique para ampliar)


Ruben Faria em sétimo na abertura dos Sertões


O Rally dos Sertões, quinta prova do campeonato do mundo de Cross-Country e Rallies, realizou hoje a sua primeira etapa nos trilhos brasileiros. Após a realização do prólogo em Goiânia ao final do dia de ontem, o piloto de Olhão iniciou confiante a primeira etapa a sério daquele que é o maior rally em todo o planeta a ser realizado na integra em apenas um país.

Após o ‘aperitivo’ servido no dia de ontem com um prólogo de apenas dez quilómetros, Ruben Faria encontrou hoje as tipicas pistas brasileiras ao longo dos poucos mais de 216 quilómetros entre Goiânia e Caldas Novas, com uma especial com 155 quilómetros a abrir os duelos pelas primeiras posições. Um dia em que os pilotos enfrentaram não apenas um piso escorregadio mas também os muitos ribeiros que tiveram que ser atravessados.

‘Ontem o prólogo não me correu muito bem porque falhei uma travagem e saí fora de pista. Nada de grave, apenas alguns segundos perdidos e naturalmente posições para a largada de hoje. Mas correu melhor, a especial tinha algumas armadilhas e sem querer arriscar em demasia mantive um ritmo constante para me enquadrar também na corrida. Foram apenas centena e meia de quilómetros e fiquei satisfeito com a minha prestação porque este primeiro dia teve muita navegação e com o muito pó existente torna-se complicado não falhar. Estive confortável ao longo de todo o dia, sinto-me muito bem fisicamente e quero aproveitar este bom momento de forma.’

Ruben Faria está assim na sétima posição da classificação geral da prova – a 4 minutos e 33 segundos do líder, Marc Coma - após o primeiro dia de competição a ‘sério’, com a caravana a preparar já a segunda etapa deste Sertões 2014 que vai ligar Caldas Novas a Catalão, um dia com mais de 260 quilómetros dos quais dos quais mais de 202 serão cronometrados, naquela que será a derradeira etapa da prova a percorrer pista do estado de Goiânia, já que amanhã a caravana entra em Minas Gerais.

Hype Communications

Hélder Rodrigues em 2º nos Sertões


(Clique para ampliar)


sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Tennesse Knockout 2014

1.Cody Webb-Beta
2.Taylor Robert-KTM
3.Grant Baylor-KTM
4.Bobby Prochnau-KTM
5.Max Gerston-Beta
6.Wally Palmer-Christini
7.Paul Whibley-Yamaha
8.Ricky Russell-Yamaha
9.Zach Love -KTM
10.Kyle Redmond-KTM




Diogo Ventura - Estrela em Góis


Diogo Ventura foi uma das estrelas presentes na edição 2014 da concentração de Góis. Mais uma vez a pequena vila beirã acolheu milhares de motociclistas para um dos grandes eventos mototuristicos do ano e o maior nesta pequena comunidade plantada junto ás margens do Rio Ceira que pela 21ª vez levou a cabo uma das mais prestigiadas e populares concentrações de motos no nosso país.

Como natural da localidade e piloto que representa as cores da região e do Góis Moto Clube nos campeonatos nacionais e mundiais de enduro, Diogo Ventura foi um dos convidados da organização para subir ao palco na noite de Sábado, momentos antes da actuação dos Xutos & Pontapés. Perante cerca de vinte mil espectadores o piloto da Gas Gas foi assim homenageado pelo clube da terra e recebeu naturalmente os aplausos e carinho de toda a gigantesca moldura humana que mais uma vez esteve no evento.

‘É um grande orgulho para mim poder estar na concentração que acompanho desde sempre. É a minha terra e o meu clube, que desde os meus primeiros momentos como piloto estiveram sempre ao meu lado. Estar perante tantos milhares de espectadores foi uma sensação avassaladora, impressionante, que demonstra também a excelência do trabalho feito pelo Góis Moto Clube nos últimos vinte anos. Estamos numa zona para muitos desconhecida e que ficou mais popular graças à concentração que todos os anos enche por completo esta região.’

Juntamente com a sua Gas Gas o bi-campeão europeu em 2012 subiu ao palco e mostrou as cores da sua Gas Gas e dos seus patrocinadores que em 2013 o têm ajudado a lutar por um lugar entre os cinco melhores no campeonato do mundo júnior, que tem ainda uma prova por realizar até ao fecho da época.

Hype Communications

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Bianchi Prata em segundo na Hungria


Após ter inicialmente divulgado resultados finais que colocavam Bianchi Prata na terceira posição final da Baja Hungria 2014, segunda prova do campeonato europeu de Bajas, a organização da competição realizada na localidade de Pápa reviu os resultados finais da competição e como consequência o piloto do Porto ascendeu uma posição na classificação geral para ser segundo classificado na prova.

Uma revisão de resultados anunciada já ao final do dia na Hungria e que colocou alguma verdade desportiva na competição, apesar de se manter a anulação da segunda especial do derradeiro dia. Para Bianchi Prata a vitória ficou a pouco mais de uma mão cheia de minutos, o que deixou o piloto do Porto mais animado em termos de campeonato, mas desiludido com os acontecimentos.

‘Foi pena toda esta confusão com uma especial anulada e os resultados revistos passadas muitas horas. Subir a segundo é bom naturalmente, mas em condições normais sei que a vitória era minha sem contestação. Na especial anulada ganhei mais de cinco minutos ao vencedor e na derradeira passagem pela mesma perdi 12 minutos fruto de estar com o amortecedor traseiro com a mola partida. Por tudo isso sei que podia mesmo ter conseguido a terceira vitória consecutiva na prova.’

Bianchi Prata vai lutar até ao final pela revalidação do título europeu, cuja última prova se desenrola em Idanha-A-Nova, mas sabe que não depende apenas de si para se sagrar de novo campeão, já que depois do campeonato ter perdido duas provas anteriormente previstas será complicado anular a diferença.

‘Não vai ser fácil, mas até ao final da corrida tudo pode acontecer. Com o campeonato mais curto é complicado recuperar a diferença, mas vamos lutar e aproveitar ao máximo o facto de estarmos em Portugal.’

Juntamente com Bianchi Prata terminou igualmente a prova Rita Vieira, que venceu novamente entre as Senhoras e conseguiu também a primeira posição entre os júniores. 


A jovem piloto aos comandos da portuguesa AJP PR5 assumiu assim a liderança do campeonato do mundo feminino e também dos júniores, após as vitórias conseguidas em Espanha e na Hungria. Recorde-se que Rita Vieira está a fazer em 2014 as suas primeiras provas a nível internacional, com resultados notáveis que começam mesmo já a merecer atenção de algumas equipas estrangeiras.

Hype Communications

sábado, 16 de agosto de 2014

Pódio na Hungria para Bianchi Prata


Bianchi Prata conseguiu hoje em Pápa na Hungria a terceira posição na Baja Hungria, segunda prova do campeonato europeu de Bajas. Após dois dias de competição e mais de 440 quilómetros ao cronómetro divididos pelas cinco especiais do programa, duas delas repetidas neste derradeiro dia, o piloto do Porto fecha no pódio a competição, com a anulação de uma das especiais a ditar a descida ao degrau mais baixo do pódio.

Após um início mais cauteloso nos pouco mais de 55 quilómetros do dia de ontem, marcado por muita chuva, lama e uma especial bastante perigosa, o piloto do Porto atacou decidido a dupla passagem pelas especiais de hoje com o objectivo claro de lutar pela terceira vitória consecutiva na competição.

‘O dia de ontem não foi nada de especial. Devido à chuva o piso estava demasiado encharcado e a especial tinha muitas armadilhas em especial nos sectores onde andámos entre árvores e com muita erva. Andei rápido na fase inicial mas depois tive uma saída de pista a alta velocidade e baixei o ritmo para chegar ao final já com o pensamento no dia de hoje pois com duas especiais podia recuperar.’

Neste segundo dia Bianchi Prata cumpriu os seus objectivos e logo na primeira volta ás duas especiais atacou a liderança que acabou por conquistar no final da primeira metade do dia. Mas a organização anulou precisamente a especial em que o piloto da Husqvarna tinha conseguido ascender à posição de líder e com um problema no amortecedor traseiro na derradeira especial, a mais longa da prova, foi impossível conseguir melhor que o terceiro posto.

‘O resultado final é de alguma forma agri-doce. Com a anulação de uma das especiais acabei por perder a corrida e descer ao terceiro posto. Ataquei forte nessa especial e ganhei muito tempo aos meus adversários, mas com a anulação da mesma fiquei em terceiro. Cheguei ao final da corrida com alguma sorte pois a mola do amortecedor traseiro partiu-se e tive que fazer a derradeira especial em ritmo mais lento depois de uma ‘bricolage’ de emergência com a ajuda do Marco.’

Bianchi Prata consegue mais um excelente resultado na prova húngara e com apenas uma prova no calendário 2014 por realizar, a Baja TT Idanha-A-Nova, o objectivo de conquistar o título europeu pelo terceiro ano consecutivo continua presente pois em Pápa o piloto do Porto recuperou pontos para os adversários que o tinham batido em Itália aquando da primeira prova do campeonato.

Juntamente com Bianchi Prata estiveram na prova mais dois portugueses, com o figueirense Rui Costa a abandonar ainda na fase matinal deste segundo dia e a jovem Rita Vieira a conseguir aos comandos da sua AJP PR5 mais uma vitória na Taça FIM de Bajas ao repetir o sucesso conseguido na Baja Espanha.

Hype Communications

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Porto Extreme Lagares 2014 - Video de apresentação | Teaser


Diogo Ventura - Inferno de Lummezane


Após a oitava posição conseguida no primeiro dia da penúltima prova do mundial de enduro realizada na localidade italiana de Lummezane, Diogo Ventura enfrentou no segundo dia de competição uma jornada de elevado nível de dificuldade. 

Fruto de chuvas torrenciais que começaram a caír ainda no final do dia de abertura e que continuaram no derradeiro dia de prova, os 45 quilómetros de percurso e as suas três especiais tornaram-se quase impraticáveis, proporcionando um dia de enduro que muitos pilotos desconheciam poder ser tão exigente. 

‘Se ontem tinha sido mau...hoje ainda pior. Choveu de forma torrencial durante toda a manhã, com muita trovoada mesmo a acompanhar, tornando a corrida ainda mais dura, talvez a mais dura que alguma vez enfrentei. Numa das especiais, com muita relva transformada em lama, perdi de uma só vez cinco minutos com outras tantas quedas. Tive mesmo que tirar as luvas a meio porque já nem conseguia segurar no guiador da moto. Além disso penalizei ainda seis minutos num controle muito apertado e acabei por me afundar ainda mais na classificação.’ 

Com tantos contratempos Diogo Ventura acabou por fechar este dia num pouco comum 15º posto – foi mesmo o seu pior resultado do ano – não deixando no entanto de ocupar ainda a sexta posição do campeonato, agora com uma dezena de pontos para o quinto e 13 para o quarto classificado do mundial entre os pilotos da classe júnior. 

‘As contas estão agora mais complicadas, mas estou em condições ainda de poder ser um dos cinco primeiros e é mesmo isso que vou procurar na última prova em França. Baixar os braços nunca!’ 

O piloto de Góis tem ainda que cumprir mais uma ronda do campeonato do mundo, a realizar em França nos dias 13 e 14 de Setembro, prova onde vai lutar com todas as suas forças para fechar a sua primeira época de mundial entre os cinco melhores da sua classe.

Hype Communications

EWC 2014 - GP de Itália - Videos

1º dia:

2º dia