terça-feira, 11 de dezembro de 2018

SEWC 2019 | Polónia - Taddy a abrir

Tadeusz Blazusiak foi o grande vencedor da noite, com vitórias em duas das três finais.

Resultados:
(Clique para ampliar)

Com um 5º e dois 7ºs lugares, Diogo Vieira concluiu o GP da Polónia na 6ª posição final

Video:


Foto: www.superenduro.org

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

CNRR 2018 | Reguengos de Monsaraz - Buhler venceu, Bruno Santos é campeão


No fecho da primeira edição do campeonato nacional Rally-Raid, especialidade onde a velocidade ‘off-road’ se junta à navegação, a cidade alentejana de Reguengos de Monsaraz foi decisiva na luta pelo título nacional. Antes dos derradeiros dois dias de competição Paulo Gonçalves e Bruno Santos estava na frente do campeonato, mas no final foi o piloto de Torres Vedras a fazer história tornando-se no primeiro campeão nacional de Rally-Raid.

Com dois dias de competição em agenda, o primeiro (Sábado) foi o mais longo com 220 quilómetros, para no dia de ontem se realizar o dia de encerramento, mais curto, com 140 quilómetros e onde se decidiram os títulos nacionais em discussão. Globalmente o pódio foi ocupado por Sebastian Buhler que fechou os dois dias de competição na frente de António Maio e com pouco mais de três minutos a separar os dois pilotos que no início de 2019 se vão estrear no Dakar.

O pódio foi encerrado por Bruno Santos que com a terceira posição a mais de seis minutos e meio somou os pontos necessários para se sagrar campeão nacional depois e Paulo Gonçalves ter abandonado no dia anterior devido a uma queda. Bruno Santos fechou a época com seis pontos de vantagem sobre Gonçalves, que venceu em três das cinco ocasiões do calendário, mas ao ficar em ‘branco’ por duas vezes foi o regular piloto torrejano quem fez história ao ser o primeiro campeão nacional de uma disciplina onde pontuaram 29 pilotos oriundos de quase uma dezena de países distintos.

Video:

Texto: FMP

domingo, 2 de dezembro de 2018

Jorge Viegas eleito Presidente da FIM com 79% dos votos


Jorge Viegas é o novo Presidente da Federação Internacional de Motociclismo depois de ter recebido 79 votos em 101 possíveis na assembleia geral anual da FIM que se está a realizar em Andorra.

Com uma longa ligação ao orgão máximo do motociclismo mundial, Jorge Vegas desempenhou vários cargos na instituição tendo sido Presidente da Comissão de Promoção da FIM em 1992 antes de assumir a vice-presidência da mesma em vários períodos entre 1996 e 2014. Foi igualmente em vários momentos membro direcção e na actualidade é um dos membros do TAD (Tribunal Arbitral do Desporto) em Portugal bem como membro do Comité Olimpico de Portugal.

“É uma honra ser eleito Presidente da FIM. É fantástico poder ver que a minha paixão pelo motociclismo me levou a um cargo que me permitirá criar um impacto positivo no desporto. Passei muitos anos trabalhando com e para a FIM e estou certo que teremos em conjunto um futuro brilhante.“

Natural de Faro, com um mestrado em Economia (Relações Internacionais) Jorge Viegas iniciou a sua relação com as duas todas quando foi piloto de motocross em 1974, antes de trocar de especialidade e se tornar piloto de velocidade, competindo em alguns GP’s de 250cc e nas 24 Horas de Le Mans. Depois de alguns anos como jornalista foi um dos fundadores da FNM/FMP e o seu primeiro presidente em 1990, tendo sido igualmente presidente do Circuito do Estoril depois de nomeado pelo governo de Portugal para desempenhar o cargo. Jorge Viegas sucede ao venezuelano Vito Ippolito  para ser o 13º presidente da instituição máxima do motociclismo mundial.

FMP

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Gonçalo Reis regressa à GasGas


Gonçalo Reis vai regressar à GasGas, marca com a qual trabalhou na temporada 2012. O piloto do Magoito defenderá as cores do fabricante espanhol em 2019 no CNE, assim como pontualmente noutras competições:

"Depois de um ano de adaptação à Sherco e às 2t, chegou o fim da nossa parceria. Para 2019 vou voltar a correr com as cores da GasGas. Uma estrutura com quem já trabalhei em 2012, com todo o apoio de fabrica e da MotoExtreme. Para 2019 quero estar em bom nível no nacional de enduro, vou estar presente em algumas provas dos nacionais de Mx,  Extremes e campeonato espanhol. Não posso deixar de agradecer à Sherco e a todos os parceiros que me ajudaram este ano. Para o ano cá estaremos de GasGas e com a maioria dos parceiros e novos desafios."

domingo, 25 de novembro de 2018

CNTT 2018 | Góis - Resultados


- Diogo Ventura venceu a 25ª edição do Raide TT de Góis;
- Mário Patrão foi o 2º classificado e Bernardo Megre conquistou o seu primeiro pódio, ao concluir a prova no 3º posto;
- Martim Ventura renovou o título de TT1 aos 18 anos.

Resultados:
(Clique para ampliar)

Todos os resultados

Foto: FB Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Gonçalo Reis conquista o 11º lugar da classe E3 nos ISDE | Chile


A localidade de Viña Del Mar no Chile, recebeu a 93ª edição dos International Six Days of Enduro, as "Olimpíadas do Enduro", entre os dias 12 e 17 de Novembro.

Gonçalo Reis esteve novamente presente na prova mais antiga do todo-o-terreno (a primeira edição teve lugar em Carlisle, Inglaterra, em 1913), inserido na equipa principal da selecção sénior, que lutava no Troféu Mundial, categoria em que Portugal conquistou o quarto lugar no ano transacto.

O piloto do Magoito vestiu a camisola das quinas com a determinação e resiliência que lhe são conhecidas e contribuiu para o sexto lugar final de Portugal, entre as 17 selecções presentes, atrás das super-potências do Enduro: Austrália, Estados Unidos, Itália, França e Espanha. Em termos individuais, 11º lugar na classe das motos de maior cilindrada, a E3, e mais uma medalha de ouro no seu vasto palmarés.

Aqui fica o balanço do piloto da Sherco:
"A minha participação nos ISDE do Chile começou com o reconhecimento das especiais. Este ano resolvi contar os quilómetros de cada dia de reconhecimento e o resultado final foi de 135 quilómetros, que eu e todo o team percorremos.
Relativamente à corrida, foram uns 6 dias com bastante pó, ao ponto da organização ter de anular uma especial numa das voltas, por estar muito perigosa. 
As especiais eram bastantes técnicas e longas, com singles tracks e em montanha com muitos declives. 
O percurso é que ficou aquém das expectativas, com muito alcatrão nos dois primeiros dias e no quinto dia. 
Para mim o Team Portugal esteve fora de série. Todos bastante regulares nas suas classes e sempre a melhorar dia após dia."


"Em termos individuais foi um bom balanço, andando sempre nos dez primeiros. 
No quinto dia estava já a passar para nono da classe mas tive uma grande queda que me fez perder muito tempo, baixando para décimo primeiro. 
Ja no sexto dia, entrei muito tenso na manga e depois caíram muitos pilotos a minha frente, pelo que acabei por rolar com calma."


"Quero agradecer a todos os meus parceiros, FMP e ao team todo presente no Chile pelo apoio. Agora é pensar em 2019!"

Balanço feito, tempo para começar a pensar em 2019 onde o piloto do Magoito poderá ter algumas novidades. Para acompanhar!

terça-feira, 20 de novembro de 2018

WESS 2018 - Resultados finais

Billy Bolt é o primeiro campeão WESS. A temporada do piloto britânico começou da melhor forma com uma vitória na Porto Extreme XL Lagares.



Foto: One Shot Foto

domingo, 18 de novembro de 2018

ISDE 2018 | Chile - Areia no final, selecções em sexto


No fecho dos ISDE 2018 na localidade chilena de Viña Del Mar as selecções lusas de Séniores e Feminina conquistaram o sexto posto na classificação global. Na derradeira jornada, onde se realizou apenas a especial final, ao estilo motocross, as senhoras perderam o quinto posto a que tinham ascendido no dia anterior.

Sem grandes possibilidade de subir na classificação colectiva a ‘armada lusa’ atacou a derradeira especial, desenhada junto a uma praia e onde o vento se juntou ao piso arenoso, com o objectivo de conseguirem boas prestações e ‘dar nas vistas’ na despedida da América do Sul.

Objectivos alcançados para Luis Oliveira que depois de liderar destacado as primeiras três voltas das oito da corrida resrvada aos E1 foi vitima de uma queda e fechou no quinto posto para assegurar a sexta posição final na classe. Rodrigo Belchior fechou a sua estreia na maratona na 19ª posição depois de ter sido 16º  na derradeira especial da competição.

Na E2 Rui Gonçalves queria aproveitar toda a sua experiência do motocross para discutir a corrida mas uma queda logo na primeira volta e o descanso de uma outra moto a ‘prender’ a roda dianteira da sua máquina deixou o estreante bastante atrasado. Fechou na 14ª posição para ser 10º na sua estreia nos ISDE. Diogo Ventura foi 20º neste derradeiro dia e globalmente fechou a prova na 18ª posição.

Gonçalo Reis foi o único luso na E3 e despediu-se de mais uma presença nos ISDE com a 20ª posição, sendo 11º nas contas finais da classe. Já nas Senhoras Joana Gonçalves mostrou que não esqueceu a sua passagem pelos Nacionais e Mundial de Motocross e recebeu a bandeira de xadrêz na quarta posição e 12º posto na classificação global. Rita Vieira foi 16ª e Bruna Antunes a 18ª. Rita Vieira terminou na 13ª posição da classificação final feminina e Bruna Antunes na 19ª.

Foi assim na sexta posição final que as equipas Sénior e Feminina fecharam esta 93ª edição dos ISDE, sendo que em 2019 a prova se realizará em Portugal, em Portimão, dez anos depois da Figueira da Foz e vinte anos depois de Coimbra.

FMP