terça-feira, 29 de novembro de 2016

CNE 2017 - Calendário definido


Está já definido o calendário do campeonato nacional de enduro 2017. Com um total de oito provas elegíveis para o mesmo apenas uma ronda terá dois dias de duração, com as restantes a serem realizadas em apenas um dia.

Com arranque agendado já para o final de Janeiro de 2017 a temporada irá terminar apenas no primeiro dia de Outubro com uma cadência de uma prova por mês entre Janeiro e Julho, ficando para o Outubro apenas uma prova logo após a habitual paragem de Verão.

A abertura de época será realizada em Góis e depois do regresso à vila beirã o campeonato irá passar por Valpaços, Figueira da Foz, Vila de Rei, Lousã, Régua, Souselas e Águeda.

Juntamente com as provas do campeonato nacional o ano de 2017 será ainda marcado pela realização de duas provas de cariz internacional em Portugal, o Europeu de Enduro em Gouveia a 29 e 30 de Abril e posteriormente o Mundial de Enduro em Castelo Branco nos dias 22 e 23 de Julho.

CAMPEONATO NACIONAL ENDURO 2017
29 Janeiro - Góis – Góis Moto Clube
18 e 19 Fevereiro – Valpaços – Usprigozus Clube TT de Vilarandelo
12 Março – Figueira da Foz – Moto Clube da Figueira da Foz
2 Abril – Vila de Rei – Esganados Moto Clube de Vila de Rei
7 Maio – Lousã – Montanha Clube
4 Junho - Régua – Natureza Extreme
16 Julho – Souselas – Alhastro Clube TT
1 de Outubro – Águeda -  ACTIB Águeda

PROVAS INTERNACIONAIS
29 e 30 Abril – Gouveia – Europeu de Enduro
22 e 23 Julho – Castelo Branco – Mundial de Enduro

FMP

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

CRN Competition inscreve 3 pilotos no Dakar


São já conhecidos os números dos pilotos participantes na edição de 2017 do Dakar, a grande maratona de todo-o-terreno sul-americana que ontem foi apresentada em Paris. 

A equipa CRN Competition inscreve três pilotos, todos aos comandos de motos Yamaha WR450F inscritas na Classe Super Prodution. A Yamaha de Oscar Romero ostentará o nº 116, a de Rui Oliveira o nº 151 e a de Fausto Mota o nº 152.

Para Fausto Mota, campeão nacional TT3 em 2015 e para Rui Oliveira, 2017 marca o regresso a uma competição onde participaram pela primeira vez em 2011 tendo concluído respetivamente na 53ª e 52ª posição. Para o espanhol Oscar Romero, que recentemente terminou a Baja Portalegre 500 na 12ª posição, a participação no Dakar 2017 será uma estreia absoluta.

O Rally Dakar que conta para a edição de 2017 com 491 inscritos, arranca de Assunção, capital do Paraguai no dia 2 de janeiro e terá aproximadamente 9000 km, dos quais mais de 4000 ao cronómetro, divididos por doze etapas.


A2 Comunicação

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Paulo Gonçalves: “Será certamente um Dakar sem descanso para os pilotos”


Foi hoje apresentada em Paris a edição de 2017 do mítico Rali Dakar. Paulo Gonçalves volta a enfrentar pela 11.ª vez a maior prova de Todo-o-Terreno do mundo, mantendo-se igualmente aos comandos de uma Honda CRF 450 Rally da equipa Monster Energy Honda Team e nem a fasquia de uma edição esperada como a mais difícil de sempre afastam o objetivo do piloto português, segundo classificado em 2015, que aponta uma vez mais à vitória final.

A prova arranca já no próximo mês de janeiro de 2017, com a primeira etapa a ter lugar no dia 2 (segunda-feira) entre a capital paraguaia de Assunção e Resistencia. Um total de 12 etapas a perfazerem cerca de 9.000 quilómetros com passagem por três países sul-americanos (Paraguai, Bolívia e Argentina), dos quais mais de metade serão disputados a contrarrelógio, alguns deles a mais de 3.500 metros de altitude.

Paulo Gonçalves: “Temos a certeza absoluta de que este Dakar vai ser mesmo muito difícil, bem mais difícil do que aquilo que já foi em anos anteriores, vamos ter praticamente metade da corrida feita em grande altitude, meia semana de competição, seis dias de corrida, onde nunca vamos baixar dos 3.500 metros, vamos inclusive ter uma etapa que vai tocar os 5.000 metros, 4.900 para ser mais preciso. Isso irá causar certamente muita dificuldade aos pilotos, dores de cabeça, lentidão na forma de pensar, um desgaste físico muito grande porque para além de estarmos a competir a 4.800 metros em alguma situação em descanso nunca baixaremos dos 3.500 durante essa semana. Para além disso também temos etapas que vão tocar os 1.000 quilómetros entre troço cronometrado e ligação e tudo isso são dificuldades acrescidas, será certamente um Dakar sem descanso para os pilotos, é importante chegar lá o melhor preparado possível, fazer uma boa aclimatação de forma a tentar sofrer o menos possível porque sofrer de certeza que vamos sofrer de alguma maneira mas pelo menos tentar reduzir essa dificuldade ao máximo de forma a poder render e estar permanentemente na luta pela vitória final que esse é obviamente o principal objetivo de um baixo leque de pilotos do qual me incluo e os pilotos da equipa Monster Energy Honda Team também.”


Conceito Media

terça-feira, 15 de novembro de 2016

IPDJ atribui Prémio de Ética no Desporto ao piloto Paulo Gonçalves


O Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ) atribui o Prémio de Ética no Desporto a Paulo Gonçalves, o motociclista cuja atitude de fair play no Dakar foinotícia em todo o mundo. O prémio de Ética no Desporto será atribuído na Gala da Confederação do Desporto de Portugal, que terá lugar no dia 16 de Novembro, no Casino do Estoril.

Na edição de 2016 do Dakar, na classe das motas, Paulo Gonçalves, piloto oficial da Honda, liderava a geral da sua classe quando percebeu que o piloto Matthias Walkner, seu rival, tinha sofrido um acidente grave. O piloto português podia ter seguido a corrida, sabendo que a equipa médica iria socorrer o piloto acidentado, e não incorrendo em qualquer tipo de penalização. Mas Paulo Gonçalves parou de imediato para prestar auxílio e dar o alerta do sucedido, permanecendo com o piloto acidentado até a equipa médica do Dakar chegar.

O gesto de Paulo Gonçalves incorpora na perfeição todos os valores que o Prémio de Ética no Desporto procura enaltecer. Para Lídia Praça, vogal do Conselho Diretivo do IPDJ, “Promover a valorização e a afirmação do desporto pela positiva é um dos lemas do IPDJ. É imperativo contrariar as tendências de violência e de falta de ética no Desporto e sem dúvida que a ação do Paulo Gonçalves, enquadrada numa competição deste nível, mereceu da parte do IPDJ, o devido reconhecimento público. Mantemos a esperança de conquistar, com a valorização destes gestos, um desporto melhor.”

Sobre o acontecimento, Paulo Gonçalves afirmou: “Fiz aquilo que me competia. Se fosse ao contrário, acredito que fizessem o mesmo por mim. O Dakar é uma aventura de muito risco, de muito sacrifício, damos tudo por tudo ao longo de vários dias, milhares de quilómetros, e o risco está sempre à espreita. Não sou um herói, sou um ser humano com respeito pelos outros.”

O Plano Nacional de Ética no Desporto (PNED), no qual se insere este prémio, recebeu no passado mês de Outubro o prémio «Fairplay SPIRIT Award 2016», atribuído pelo European Fairplay Movement.
Este importante Movimento Europeu de Fairplay, representa 42 países e diversas entidades, tendo como objetivo divulgar e promover os princípios do Fair Play e a ética desportiva na Europa.

IPDJ

domingo, 13 de novembro de 2016

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

TLG 2016 - Gerson Pinto foi o melhor em Baltar

Gerson Pinto foi o piloto em destaque em Baltar, vencendo a Geral e a classe Expert

O Kartódromo de Baltar recebeu no passado domingo a quinta e penúltima prova do Troféu Luso Galaico Mota de Monte 2016, a segunda na vertente Cross-Country. 
Com um dia soalheiro, os pilotos encontraram um local com excelentes condições para a realização do evento e um percurso muito bem montado pela organização.

Em termos de Geral, o vencedor foi Gerson Pinto que assim somou ao triunfo absoluto, o primeiro lugar na classe Expert. Com este resultado, aproximou-se do actual primeiro classificado da classe, Pedro Durães, estando agora a 16 pontos quando falta uma prova para terminar o troféu, o Enduro das Regiões em Penafiel.

Na classe Pro, André Mouta conquistou a sua primeira vitória da temporada, ele que lidera a tabela de pontos, agora com 13 pontos de avanço sobre João Vieira.

Miguel Fernandes repetiu o triunfo conseguido no Enduro de Vales Longos e reforçou o primeiro lugar na tabela de pontos da classe Enduro 1. São agora mais 17 pontos que Hugo Pinto, partindo assim com esta vantagem para a última prova da temporada.

A classe Enduro 2 encontrou o primeiro vencedor do Troféu Luso Galaico Mota de Monte 2016. Carlos Skinas não deixou os seus créditos por mãos alheias e conquistou mais uma vitória, a 5ª da época, somando 125 pontos, mais 43 que Leandro Ferreira, que assim ditaram o seu triunfo na classe este ano.

Leonel Mendes foi o vencedor da Enduro 3, sendo esta a sua terceira vitória da temporada. Com o seu mais directo adversário no troféu, Samuel Almeida, a não conseguir melhor do que a 5ª posição em Baltar, Mendes acrescentou 9 pontos à vantagem que já tinha à partida para esta prova, que se traduz agora nuns confortáveis 20 pontos.

Nos Juniores, continua a luta entre Diogo Parente e Luís Gonçalves. Parente levou a melhor sobre o seu adversário e tem 10 pontos de vantagem no Troféu.

Nos Veteranos, Nuno Freitas voltou ao Luso Galaico e não o podia ter feito de melhor forma. Depois da sua participação no Enduro de Valongo onde terminou no segundo lugar, desta feita o piloto de Braga levou a melhor sobre os seus adversários, conquistando uma vitória que o fez subir à terceira posição da tabela de pontos. À sua frente, estão os dois pilotos que podem vencer o Troféu. Albano Mouta está em franca vantagem, bastando-lhe 3 pontos para conquistar o triunfo final, caso António Faria vença em Penafiel.

Depois de não ter pontuado em Vales Longos e com isso ter perdido o primeiro lugar nos Veteranos Seniores, Aníbal Soares não perdoou em Baltar. Conquistou a 4ª vitória da época e recuperou a liderança, com apenas 6 pontos de vantagem sobre João Almeida, que não permitem distracções na derradeira prova da temporada.

Na Promoção, foi Ivo Cardoso que venceu e tem agora 7 pontos de vantagem sobre Carlos Ferreira, estando tudo em aberto para Penafiel.

Nas Senhoras, foi Sofia Soares quem venceu, enquanto que a líder do Troféu, Sónia Cancela, conquistou o segundo lugar, resultado este que lhe permitiu aumentar a sua vantagem pontual sobre Vera Dias. De referir que a classe Senhoras já conheceu 3 vencedoras diferentes nesta temporada, precisamente Sónia Cancela, Vera Dias e Sofia Soares.

O Troféu tem agora um interregno de quase um mês, altura ideal para o pelotão recarregar baterias e definir estratégias para a derradeira prova, o Enduro das Regiões, no dia 4 de Dezembro, onde para além da classificação individual que irá definir os vencedores do Troféu em 2016, também haverá a classificação por cidade, desde que representada por um número mínimo de 3 pilotos. Será a festa do final de temporada. A não perder!



Foto: One Shot Foto

TLG 2016 - Baltar - Fotos PM-Images

TLG 2016 - Baltar - Fotos One Shot Foto

Video - Donner Partying


quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Projecto Fénix - A renovação da gama Enduro/XC da GAS GAS

Versão EC Europa



Versão XC EUA



Novidades ciclística:
•      Cinemática
•      Chasis de espina central, totalmente rediseñado, con menor rigidez a la torsión y bajo peso
•      Subchasis de aluminio con nuevos perfiles, más ligero y más resistente
•      Horquilla delantera KAYABA Ø 48
•      Monoamortiguador trasero KAYABA
•      Mayor ángulo de giro
•      Bridas de suspensión y manillar en color negro
•      Basculante fabricado en aleación de aluminio, totalmente rediseñado, optimizado y más ligero
•      Sistema de link con bieleta y balancín optimizados, nueva progresividad de suspensión trasera
•      Sistema de guiado y patines de cadena totalmente rediseñados
•      Tensores de cadena más fáciles de tensar
•      Eje trasero diseñado para una mayor rapidez en su extracción
•      Llantas EXCEL con radios zincados en plata
•      Discos de freno NG
•      Depósito de gasolina más estrecho y con gran capacidad de combustible
•      Caja de filtro de mayor volumen
•      Sistema de extracción rápida del filtro a través de la tapa lateral
•      Sistema  de admisión (filtro, araña, pulmón y tobera)
•      Sillín más estrecho con fijación lateral recubierto con una mayor base de espuma para mejorar su comodidad
•      Estriberas con mayor agarre, mayor superficie y más ligeras
•      Sistema de freno y bomba traseras
•      Bomba de embrague MAGURA
•      Rediseño del conjunto de carrocería de la moto, más estrecha, agresiva y cómoda
•      Rejillas de radiador
•      Protectores de horquilla
•      Protectores de chasis
•      Instalación eléctrica y distribución de sus componentes (batería, CDI, relé de arranque, regulador y bobina)
•      Multifunción
•      Piloto de luz trasero
•      Faro con luces led*

Novidades Motor:
•      Motor Gas Gas EC, nueva termodinámica y mayores prestaciones
•      Cigüeñal
•      Cilindro con nueva distribución
•      Culata con nuevo tirante
•      Silenciador de escape FMF Powercore 2.1 diseñado exclusivamente para Gas Gas 
•      Radiadores
•      Sistema lubricación de embrague mejorado

Video - Yamaha Rally Team pronta para o Dakar 2017



domingo, 6 de novembro de 2016

GP de Portugal já tem data marcada para 2017


O promotor do Campeonato do Mundo de Enduro deu a conhecer ontem o calendário actualizado para 2017. Conforme tínhamos noticiado, Castelo Branco vai acolher a ronda portuguesa e sabe-se agora que será realizada nos dias 22 e 23 de Julho. O GP de Portugal será a 6ª prova da temporada 2017, de um total de 9.

O campeonato começará nos dias 25 e 26 de Março com o GP da Finlândia e terminará nos dias 21 e 22 de Outubro com o GP da Alemanha, que assim substitui a França como prova que encerra o campeonato. 

França não terá GP pois será a anfitriã dos International Six Days of Enduro, que terão lugar em Brive e que em 2017 serão disputados após o GP de Portugal, entre os dias 28 de Agosto e 2 de Setembro.

Calendário 2017
25/26 Março: GP de Finlândia (Helsinki – Paijanne)
22/23 Abril: GP de Espanha (Puerto Lumbreras)
27/28 Maio: GP de Italia (Spoleto)
24/25 Junho: GP da Hungria (Paradfurdo)
01/02 Julho: GP da Eslováquia (Puchov)
22/23 Julho: GP de Portugal (Castelo Branco)
23/24 Setembro: GP do Reino-Unido (Hawkstone Park)
7/8 Outubro: GP da Argentina (Tucuman)
21/22 Outubro: GP da Alemanha (Zschoppau)

Foto: One Shot Foto

TLG 2016 - Baltar - Resultados


Resultados

Foto: One Shot Foto

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

CNTT 2016 - Portalegre com acção e drama


Em ano de 30º aniversário foram mais de 300 os inscritos para a derradeira prova do campeonato, este ano com um figurino novamente dividido por dois dias: o primeiro reservado ao prólogo e a um sector selectivo com pouco mais de 80 quilómetros e no dia mais importante a caravana enfrentou apenas um sector selectivo com mais de 300 quilómetros que em 2016 se revelaram secos, duros e desafiantes.

Por se comemorar uma data especial a prova começou com a realização de uma partida simbólica no Jardim do Tarro, no centro da cidade, na noite de quinta-feira, onde todos os pilotos foram apresentados ao muito público presente no local onde nos primeiros anos estava instalado o Parque-Fechado da prova.

No dia seguinte, sexta-feira, a prova começava bem cedo na Herdade das Coutadas e quem se mostrava de imediato muito veloz era Luis Oliveira. O vencedor em 2015 assinou o melhor tempo no prólogo perante vários milhares de espectadores que enchiam por completo as zonas mais espectaculares do percurso, batendo António Maio por escassas milésimas no primeiro 'round' de um duelo que se esperava bem animado para a mais longa e rápida secção da tarde.

Concentrado na conquista do campeonato, António Maio assumia o comando da prova com 26,75 segundos sobre Luís Oliveira, diferença conseguida mesmo com problemas na sua moto nos derradeiros metros do troço após uma passagem de água. Sebastian Buhler, líder do campeonato e já aos comandos de uma moto idêntica à do rival, ocupava o terceiro posto a quase 1m30s de Maio.

Com a Yamaha a fazer o pleno no pódio, João Lourenço era o melhor piloto de uma marca diferente. Aos comandos da Sherco, ocupava a quarta posição a quase três minutos do primeiro classificado e Gustavo Gaudêncio, em Honda, completava o top-5, também ele em excelente posição para se sagrar campeão nacional na classe. Mas para que tudo isso acontecesse faltava ainda o longo dia final.

Uma jornada onde Luís Oliveira voltou a ser o mais forte para vencer de novo a prova. Nas contas do campeonato, António Maio teve de sofrer para conquistar o título absoluto pela segunda vez na sua carreira, já que depois de uma queda ao quilómetros 10 o piloto alentejano não só ficou com problemas na sua moto mas fracturou igualmente a clavícula esquerda e foi nessa condição física que cumpriu 336 quilómetros de prova para ser sexto e novamente campeão nacional TT absoluto e na classe TT2. Luís Oliveira, concentrado na vitória, aproveitou para subir a primeiro e manter-se na frente até ao final para 'dobrar' a vitória de 2015 

Com os problemas de António Maio, Sebastian Buhler fez o seu papel e, apesar de não conseguir acompanhar o vencedor, concluiu a Baja Portalegre 500 em segundo. Mas este resultado não foi suficiente para que o campeão TT1 junta-se o título absoluto ao seu palmarés.

João Lourenço foi o terceiro na frente de João Vivas e Hélder Rodrigues. Martim Ventura foi o vencedor na classe TT1 e 10º da geral e o título em TT3 foi para Salvador Vargas depois de Gustavo Gaudêncio ter sido desclassificado após o final da corrida.

FMP

João Lourenço conquista excelente resultado na 30ª Baja Portalegre 500


João Lourenço chegava a Portalegre, última ronda do Campeonato Nacional de Todo o Terreno, motivado pelo excelente 3ª lugar final no Raid TT Ferraria e por estrear a sua nova Sherco 450 SEF-R. O piloto de Vila do Bispo tinha a responsabilidade de estrear esta nova moto em solo Nacional. Apesar do pouco tempo de habituação à nova “montada”, o Piloto enfrentava esta prova com grande ambição. 
As poucas horas de teste da nova moto acabaram por condicionar o inicio da prova. “Primeiro dia não começou da melhor forma no prólogo. Não me senti à vontade. Senti uma grande diferença de velocidade, pois estou habituado a conduzir a “pequena” 250 SEF-R. Logo nos 80 km iniciais, consegui entrar num bom ritmo, recuperar duas posições e acabar o dia em 4º lugar da geral. Uma posição favorável para os derradeiros 350 km de sábado.”
O 2º dia de competição previa-se duro e com lutas frequentes pelos primeiros lugares da tabela classificativa, o Piloto ENI tinha como um dos seus principais objetivos, conquistar um lugar de registo para a Sherco Portugal, com esta moto que é a mais recente aposta da marca Francesa. “Começámos o dia com vontade de chegar ao pódio. Sabíamos que ia ser uma tarefa complicada, tendo em conta a experiencia e a rapidez dos pilotos presentes, mas consegui ser sempre regular é muito consistente. Sem quedas e sem grandes sustos consegui acabar esta 30ª edição da Baja Portalegre 500 em 3º lugar da geral e 3º lugar da classe TT2. Um resultado que faz história para a marca Francesa Sherco, que me orgulho de representar.  Ao obter o primeiro pódio nesta mítica Baja. Adorei a condução da minha Sherco 450 SEF-R, super suave de Motor e muito fácil de conduzir. Uma das Motos mais confortáveis e segura que já conduzi. Tive muito pouco tempo para me adaptar a esta nova moto, diria mesmo que a adaptação foram os primeiros 80 km de sábado. Diverti-me imenso a conduzir esta "brava"
João Lourenço, no final desta jornada não se esqueceu de quem o apoiou e proporcionou a hipótese de atingir mais um excelente resultado na sua, ainda curta, carreira desportiva. “Quero agradecer a todos os meus patrocinadores, Família e Amigos, pois toda a ajuda foi preciosa para obter este resultado. O excelente trabalho por parte de todos. Valeu a pena!”

Geral Motos
1º Luis Oliveira – Yamaha( 5h10m18.50s); 2º Sebastian Buhler – Yamaha(5h17m14.71s); 3º João Lourenço – SHERCO(5h20m02.38s); 4º João Vivas – KTM(5h23m22.62s); 5º Hélder Rodrigues – Yamaha(5h26m03.36s) …

Departamento Comunicação & Marketing Sherco Portugal

Salvador Vargas sagra-se Campeão na derradeira jornada


A mítica Baja Portalegre 500 encerrou a temporada de TT 2016, numa prova com uma lista de inscritos repleta de grande qualidade.

Salvador Vargas aparecia em 2º da classe TT3, mas ainda com esperança de poder conquistar o primeiro titulo nesta categoria. Uma prova que Salvador preparou com todo o foco, e em que tinha também os olhos postos num lugar de destaque à geral.

Na primeira etapa, Salvador foi muito consistente, que levou o piloto da KTM ao 8º posto da geral e 3º da classe.

Já no segundo dia de prova, SV entrou ao ataque e estava a fazer uma grande corrida, quando acabaria por sofrer uma violenta ainda numa fase muito prematura da prova. Quando voltou para a sua moto rapidamente sentiu as lesões provocadas pela queda, tendo que baixar o ritmo para aguentar até final. Foram 320km de sofrimento, mas que no final permitiram um 13º posto da geral e 3º da classe. Este resultado valeu a conquista do titulo de Campeão Nacional na categoria TT3, situação que Vargas só teve a confirmação já depois da prova terminada.

O piloto estava naturalmente muito contente, relatando que “sofri uma queda que me deixou muito maltratado. Dai para frente tive que lutar pela corrida, mas mais do que isso, para aguentar as dores até final. Sabia que o meu adversário tinha ficado parado no percurso, obrigando-me a terminar nos 4 primeiros da classe para ser campeão, caso ele não conseguisse retomar a corrida. No final foi com enorme satisfação que recebi a noticia que era campeão, depois de muito esforço e sofrimento. Quero agradecer a toda a minha família, bem como à equipa e patrocinadores, que foram muito importantes para este resultado.”

Em pista estiveram ainda mais dois pilotos da equipa, que alinharam na categoria Open. Nuno Silva foi o 2º classificado da classe, com o seu colega de equipa, Pedro Vargas, a terminar logo atrás.

Um balanço muito positivo da equipa, que fechou a temporada de TT da melhor forma.

Momento TT Racing Team

IS3 Racing Team enfrentou Baja Portalegre como treino


Terminou este fim-de-semana o Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno 2016. A derradeira jornada pontuável teve como cenário a habitual Baja Portalegre 500 que este ano ficou marcada pela sua 30ª edição. A prova rainha do TT Nacional contou com o prólogo realizado muito próximo de Portalegre, havendo ainda um troço com cerca de 85 km entre Ponte de Sôr e a cidade da prova - tarde de sexta-feira. O derradeiro dia da clássica alentejana teve um setor seletivo único com aproximadamente 350 km´s, com a habitual chegada à Herdade das Coutadas. 

Entre as muitas motas presentes, estavam a dupla nortenha Fernando Sousa e Fernando Sousa Jr com as cores da IS3 Racing Team. Ambos os pilotos alinharam aos comandos das “colossais” KTM 450 Rally, sendo que o principal objetivo passava pelo “mais novo” efetuar quilómetros como forma de preparação para o Rally Dakar 2017.

O jovem Sousa Jr., garantiu em Portalegre a 32ª posição e satisfeito no final comentou: “A apresentação de todos os pilotos no centro da cidade foi uma ideia inovadora e permite aos patrocinadores terem a sua imagem dinamizada. Já o conceito de uma prova de dois dias é muito bom tanto para os pilotos como para o público. Fazer uma Baja apenas com uma paragem (devido aos depósitos do modelo utilizado) foi um bom treino para mim e permitiu estudar a autonomia da mota e ver como me sentia fisicamente. Cheguei ao final satisfeito e confiante no próximo objetivo que agora passa apenas pela chegada a Buenos Aires”.

Já Fernando Sousa utilizou uma toada bastante cautelosa devido aos enormes charcos de água ao longo do traçado, no entanto sem qualquer problema de maior. Apesar de estar em competição, Sousa Sr. demonstrou bastante companheirismo no auxílio a pelo menos dois pilotos, concluindo desta forma a jornada na 62ª posição. “Esta é a oitava vez que participo na baja e só posso tecer elogios a esta edição. Um percurso rápido, técnico e com zonas espetáculo onde os milhares de espectadores podiam ver a passagem dos pilotos. Senti-me pouco à vontade na minha mota rally e optei por fazer uma tirada mais cautelosa. Parabéns a toda a organização pelo excelente trabalho!”

Agora, o objetivo da formação IS3 Racing Team é a edição de 2017 do Rali Dakar – com partida em Assunção (Paraguai) a decorrer de 2 a 14 de Janeiro, Fernando Sousa Jr irá contar com 12 etapas e cerca de 9000 quilómetros de prova.

Texto: Evo-press
Fotos: FTFph Media

Motobrioso domina classe TT3 na Baja Portalegre 500

João Vivas

A cidade de Portalegre recebeu no passado fim-de-semana a 30ª edição da mítica Baja Portalegre 500. A derradeira etapa do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno a cargo do Automóvel Clube de Portugal foi igualmente pontuável para a Taça do Mundo de TT 2016, contando por isso com um elevado número de participantes (motos, quad´s, Utv`s e carros).

Entre as quase duas centenas de motos, a surpresa fora João Vivas agora aos comandos de uma KTM 500 EXC da formação Motobrioso|KTM|Galp. O jovem alentejano demonstrou um excelente andamento, garantindo a vitória na classe TT3 e o 4º lugar geral. “De uma forma geral, esta edição correu-me bem. Apesar de ter ficado condicionado devido ao pouco tempo de habituação à nova mota estou satisfeito com o resultado alcançado. A equipa foi incansável, tratou tudo ao pormenor para que nada falhasse e conseguíssemos um bom resultado. São uma excelente equipa, o que se torna essencial para conseguirmos vencer” concluiu no final J. Vivas.

Também aos comandos de uma KTM esteve o figueirense Daniel Jordão. O ex-campeão nacional de todo-o-terreno fazia o seu regresso à competição, terminando a prova no brilhante 2º lugar da classe TT3 – 7º geral. Satisfeito, Jordão comentou: “Não poderia estar mais contente. Foram três dias rodeados de amigos e com muita emoção... Depois de um prólogo menos bom e com alguma falta de adaptação à mota, tive que arriscar bastante mas o resultado fala por sí. Tenho de agradecer à MotoBrioso pela preparação da KTM e a todos os que de alguma forma me ajudaram”.

Já a iniciativa VIP por parte da KTM Portugal com apoio Motobrioso, saldou-se com um enorme sucesso. André Villas Boas e o seu grupo de amigos alcançaram o objetivo delineado – concluir em ambiente de festa, a mítica jornada alentejana.  

Ainda nas duas rodas, estavam a dupla Fernando Sousa e Fernando Sousa Jr. aos comandos das “grandes” KTM 450 Rally. Os pilotos IS3 garantiram a 62º e 32º posições respetivamente.

Na classe quad´s Arnaldo Martins, apenas precisava de concluir a prova na sexta posição para conquistar o título. Com um terceiro lugar no prólogo e a quarta posição na primeira seletiva, anteviam-se boas perspectivas para o experiente piloto de Cabeceiras de Bastos. Infelizmente e no derradeiro dia de competição, uma queda aparatosa nas imediações de Ponte de Sôr deitavam por terra todas as aspirações. Apesar de não ter consigo o título neste seu regresso à competição, A. Martins demonstrou que ainda é bastante rápido e consegue vitórias.  

No cômputo geral a formação Motobrioso demonstrou mais uma vez toda a qualidade das motas utilizadas, o profissionalismo e a forma de estar no desporto. Primou pelo desportivismo, camaradagem e a melhor relação com os seus patrocinadores. Agora, que venha 2017…

Texto: Evo-press
Fotos: FTFph Media