sábado, 27 de outubro de 2018

Buhler vence pela primeira vez a Portalegre 500


A edição de 2018 da Baja Portalegre 500 ficou marcada pelo triunfo de Sebastian Buhler, que pela primeira vez inscreveu o seu nome na prova, e pelo título nacional absoluto conquistado por António Maio. Os dois pilotos deram muitas razões para a Yamaha festejar pois ambos correm com motos da marca japonesa.

Sebastian Buhler voltou a Portalegre depois do acidente que sofreu no ano passado, e que implicou uma longa recuperação, com uma forte vontade de terminar e, acima de tudo, colocar o seu nome na elite dos vencedores da mítica prova organizada pelo ACP Motorsport. Motivado pelo vitória alcançada na ronda do campeonato nacional que precedeu a clássica alentejana, Buhler andou sempre entre os mais rápidos. Depois de secundar Luís Oliveira, que foi o mais rápido no prólogo e voltou a fazê-lo no segundo sector selectivo. Contudo, entre a noite do primeiro dia e a manhã do segundo, o piloto da WR450F ascendeu ao primeiro posto, fruto de um rol de penalizações atribuídas pelo colégio de comissários ao seu adversário. Buhler esteve numa dimensão diferente da concorrência e completou os mais de 400 quilómetros com uma vantagem próxima dos 13 minutos, face ao segundo classificado, Bruno Santos (KTM). Martim Ventura fechou o pódio, a quase um quarto de hora de diferença do vencedor.

No final, Buhler fez um balanço positivo deste feito alcançado. “Correu bem, sem problemas. O piso estava muito escorregadio e depois seco. A moto esteve impecável e senti-me bem”, afirmou.

Nas contas do título, as atenções recaíam sobre António Maio e Mário Patrão. O primeiro fechou-as já a seu favor. Ao contrário de outros anos, partiu para a corrida a pensar no campeonato e não no possível triunfo, que seria o sétimo na carreira. Completou a distância na quarta posição e, como Mário Patrão não foi além do sexto posto, renovou o título de campeão nacional absoluto.

Apesar do objectivo alcançado, Maio não teve uma prova fácil. “No início, fui no pó dos pilotos da frente. Depois da segunda assistência, caí. Acho que não parti nada, mas não sei. A moto ficou tocada mas consegui continuar. Vencer o campeonato em Portalegre é onde sabe melhor. É uma prova exigente, onde estão os nossos amigos, com bastante visibilidade. O objectivo aqui era mesmo a luta pelo título.” assumiu.

Fonte: FMP

Sebastian Buhler vence Portalegre 500. Maio é tetracampeão.


Sebastian Buhler venceu hoje a 32ª edição da Baja Portagre 500, deixando o segundo classificado, Bruno Santos, a 12 minutos e 58 segundos. Na terceira posição e com apenas 18 anos, Martim Ventura foi o melhor das TT1. António Maio terminou na quarta posição e sagrou-se tetracampeão nacional de todo-o-terreno. Daniel Jordão venceu nas TT3 e fechou o Top5 da classificação geral.


Foto: FB Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Luís Oliveira lidera Portalegre 500


Depois de um duelo intenso com Sebastian Buhler no Prólogo (SS1), que venceu por 0,4 segundos, Luís Oliveira ditou a sua lei no Sector Selectivo 2, onde conquistou a primeira posição com 27 segundos de vantagem sobre o colega de marca e principal adversário neste primeiro dia de prova. Na terceira posição, surge uma terceira Yamaha, a do líder do campeonato e principal candidato ao título este ano, António Maio, já a 3 minutos de Oliveira. Os 3 pilotos participam na classe TT2.

Na classe TT1 é Martim Ventura quem lidera, seguido de Bernardo Megre e Tiago Lopes.

Daniel Jordão ocupa a primeira posição na TT3, com Mário Patrão a apenas 5,8 segundos e Salvador Vargas a 38,7.

Amanhã os pilotos têm pela frente o Sector Selectivo 3, que liga Crato a Portalegre, com uma distância de 346,82 km.


Foto: FB Baja Portalegre 500

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Diogo Ventura ausente em Portalegre a pensar nos ISDE


Depois de uma bem sucedida estreia em 2017 onde conseguiu a décima posição da classificação geral na Baja de Portalegre, Diogo Ventura será em 2018, juntamente com a a Honda CRF 450R da Lousãmotos, uma das ausências notadas na prova alentejana.

Após ter concluído o campeonato nacional de enduro na segunda posição da classificação, o piloto de Góis dedicou de imediato especial atenção a mais uma participação nos International Six Days, a decorrer no próximo mês de Novembro no Chile e para estar na sua melhor forma física, e a conselho médico, não vai alinhar na Baja de Portalegre para continuar a recuperar de uma lesão no joelho esquerdo que forçou mesmo uma intervenção cirurgica.

"Infelizmente tive que tomar esta opção. Queria muito regressar a Portalegre porque adorei a experiência de 2017 mas tenho que dar prioridade à recuperação do joelho e a cirurgia foi mesmo para resolver de vez esse problema pois resultou de uma lesão antiga que se manifestou de novo em 2018. A recuperação está a correr dentro da normalidade e em Novembro vou estar a 100% para defender as cores de Portugal." palavras do piloto da Alves Bandeira que voltou a ser um dos escolhidos para vestir a camisola lusa nos International Six Days Enduro.

Hype Communications

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

António Maio no Dakar 2019

Campeão Nacional estreia-se na mítica prova de TT

António Maio, tricampeão nacional de TT e em véspera de disputar a Baja Portalegre 500, onde poderá alcançar o tetra, vai participar no Dakar 2019. Esta será a estreia do piloto da Yamaha na mítica prova de todo-o-terreno, um projeto para o qual se tem vindo a preparar desde o ano passado, quando se estreou com bastante sucesso no Merzouga Rally, uma prova que serve de “wild card” para o Dakar.

Desde então António Maio tem participado de forma muito positiva em provas de navegação do Campeonato Nacional de Rally Raid, onde tem evoluído bastante na leitura do terreno. O piloto vai participar no Dakar aos comandos de uma Yamaha WR 450 Rally.
“Estou muito feliz por finalmente poder dar este passo rumo a um sonho que tinha já há alguns anos. Chegou finalmente a hora de participar na prova rainha do todo-o-terreno mundial e quero em primeiro lugar agradecer a todos os que de alguma forma contribuíram para tornar este sonho uma realidade. A minha equipa que me tem proporcionado excelentes condições para competir, ganhar e conquistar títulos, os meus patrocinadores porque participar no Dakar é também bastante dispendioso e todos aqueles que me vão dando força tanto nos bons como nos momentos mais complicados. Irei dar o meu melhor sabendo que levo comigo para o Peru a força de todos os que torcem por mimsalienta António Maio.

A 41ª edição do Rali Dakar decorrerá de 6 a 17 de janeiro de 2019 e contará com um total de 10 etapas (duas das quais maratona) todas disputadas integralmente no Peru. A capital peruana, Lima, será palco da partida e da chegada desta edição que terá um total de cinco 5 mil quilómetros, três mil dos quais cronometrados, de um percurso 70% de dunas. Esta é a primeira vez desde 2009 que o rali não contará com a Argentina no seu itinerário.

A2 Comunicação

terça-feira, 23 de outubro de 2018

CNTT 2018 - Caravana a caminho de Portalegre


É novamente com uma forte lista de inscritos nas três categorias que a Baja de Portalegre recebe os pilotos do campeonato nacional de TT. A 'Cidade Branca' como é conhecida, acolhe pela 32ª vez a prova rainha do TT nacional, este ano não para encerrar a época mas sim como penúltima ronda do ano.

Com organização a cargo do ACP Motorsport a prova será dividida em três dias nos quais pilotos e máquinas terão que cumprir uma quilometragem superior aos 553 quilómetros, dos quais 423 serão cronometrados. O primeira dia, 25 de Outubro, estará reservado ás verificações técnicas e administrativas nas instalações da Nerpor, onde estará situado o parque-fechado e centro nevrálgico da prova, seguindo-se ao final do dia a já tradicional cerimónia de partida oficial nos Jardins do Tarro no centro da cidade de Portalegre.

No dia seguinte o emblemático prólogo na Herdade das Coutadas junto a Portalegre promete levar novamente uma imensa massa humana até ao local para acompanhar ao vivo o primeiro confronto da prova. Com cinco quilómetros de extensão o prólogo será o aperitivo dos 98 quilómetros da tarde que terão partida em Ponte de Sor. A fechar a prova, e já no dia de Sábado, 320 quilómetros serão colocados perante os resistentes das motos, moto4 e SSV.

Luís Oliveira, vencedor da edição de 2016, vai certamente tentar “vingar” o azar do ano passado quando a 20 quilómetros do final problemas com a sua moto o obrigaram a renunciar à luta pelo primeiro lugar com António Maio.

Com várias passagens pelo TT, André Villas-Boas é outro nome que faz parte da lista de 398 participantes na prova. O treinador de futebol vai alinhar na Baja Portalegre pela segunda vez, novamente aos comandos de uma KTM 350 EXC F, e terá seguramente como objetivo melhorar o 69º lugar conseguido em 2016.

Dois pilotos que prometem despertar as atenções são os polacos Maciej Giemza e Adam Tomiczek. Ambos júniores, Giemza chega a Portalegre como vencedor da Taça do Mundo FIM de Cross Country Júnior em 2018 e 2017, enquanto Tomiczek foi terceiro na Taça do Mundo de Bajas Júnior este ano.

Outro dado digno de nota, é a internacionalização da Mini Baja. O projecto de formação de jovens pilotos de todo-o-terreno de duas rodas lançado pelo Automóvel Club de Portugal há nove anos tem atraído sempre um número interessante de participantes e este ano vai contar com uma piloto da República Checa. A jovem Nelly Caisová, de 15 anos, é a única rapariga do grupo e vai competir contra 13 outros jovens rivais, todos eles portugueses.

Estão assim reunidos os ingredientes para o que promete ser mais uma grande edição da Baja Portalegre 500 a disputar entre os próximos dias 25 a 27 de outubro e da qual sairão os Campeões Nacionais de TT, o Campeão do Mundo de T3 e, quem sabe, os vencedores dos títulos nacionais de Motos e SSV.

HORÁRIOS
25 de Outubro (Quinta-feira)
08h00 Abertura do secretariado
08h00 / 17h00 Acreditação das equipas
08h30 / 16h00 Verificações administrativas
09h00 / 16h30 Verificações técnicas
13h00 / 17h00 Reconhecimento da Super Especial (SS1)
17h30 Publicação da lista de admitidos à partida
19h00 / 21h00 Cerimónia de Partida (Jardim do Tarro)
22h30 Encerramento do secretariado

26 de Outubro (Sexta-feira)
07h00 Abertura do secretariado
07h25 Partida da 1ª Etapa
07h50 Partida SS1 - Prólogo (Herdade das Coutadas)
07h55* Chegada do SS1
11h45 Partida do SS2
13h00* Chegada do SS2
15h00* Chegada da 1ª Etapa
18h30 2a Reunião do Júri da Prova
19h30 Publicação da lista de partida para a 2ª Etapa
20h30 Encerramento do secretariado
28 de Outubro (Sábado)
08h00 Abertura do secretariado
09h50 Partida da 2ª Etapa
10h15 Partida do SS3
13h45* Chegada do SS3
14h15* Chegada da 2ª Etapa
16h30 Conferência de imprensa
17h00 Cerimónia de pódio
19h30 3ª Reunião do Júri da Prova
20h30 Publicação da classificação final provisória
21h00 Distribuição de prémios
22h00 Encerramento do secretariado
* Hora prevista

27 de Outubro (Sábado)
08h00 Abertura do secretariado
09h50 Partida da 2ª Etapa
10h15 Partida do SS3
13h45* Chegada do SS3
14h15* Chegada da 2ª Etapa
16h30 Conferência de imprensa
17h00 Cerimónia de pódio
19h30 3ª Reunião do Júri da Prova
20h30 Publicação da classificação final provisória
21h00 Distribuição de prémios
22h00 Encerramento do secretariado
* Hora prevista

Foto: FB Baja Portalegre 500
Texto: FMP

sábado, 20 de outubro de 2018

EnduroGP 2018 - Classificações finais

Steve Holcombe conquistou o título absoluto (EnduroGP) pela 2ª vez consecutiva.

(Clique para ampliar)

(Clique para ampliar)

(Clique para ampliar)

(Clique para ampliar)

Campeão Enduro Junior: Matteo Cavallo
Campeão Youth Cup: Ruy Barbosa

Foto: FB Steve Holcombe Racing

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Paulo Gonçalves termina Rali de Marrocos na 5ª posição


Depois da queda sofrida ao terceiro dia, Paulo Gonçalves limitou-se a gerir a prova da melhor forma possível, concluindo o Rali de Marrocos na 5ª posição. Com este resultado, o piloto de Barcelos terminou o campeonato do mundo no 4º lugar:
"Terminámos esta que foi a última prova do Mundial de Ralis. Inicialmente entrei com um bom ritmo mas uma queda ao terceiro dia acabou por me fazer baixar por forma a poder concluir a prova em segurança, algo que infelizmente não aconteceu nos últimos dois anos.
O importante foi perceber que a velocidade está cá, o físico também está, estamos a trabalhar bem em conjunto com toda a equipa Monster Energy Honda Rally Team para chegar num bom momento de forma ao próximo Dakar!
Temos ainda dois meses pela frente, vamos continuar focados em continuar um bom trabalho."

Foto: FB Paulo Gonçalves

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Mário Patrão em bom plano no Rali de Marrocos


Mário Patrão, piloto apoiado pelo CRÉDITO AGRICOLA, completou hoje a sua participação no Rali de Marrocos, derradeira etapa do Campeonato do Mundo de Todo-o-Terreno. Nesta última jornada da dura e difícil prova africana, composta por um total de 475 quilómetros que terminou em Fès, o piloto da KTM realizou o 12º tempo tendo gasto 2h43m53s a cumprir os dois setores seletivos, um com 128 km e outro com 70 km.

Com este resultado o piloto de Seia patrocinado pela GRAB&GO, que em Marrocos fez a primeira corrida com a nova KTM450RALLY que vai utilizar no Dakar 2019, concluiu o Rali de Marrocos na 11ª posição da classificação geral a escassos 6m34s do Top 10 final.

Mário Patrão, que é apoiado pela BAHCO, mostrou-se satisfeito com a sua prestação nesta prova: “finalizámos o Rali de Marrocos. É um resultado que nos enche de orgulho pois competimos entre os melhores do mundo. Esta prova foi mais uma fase da nossa preparação para o DAKAR2019, onde conseguimos realizar cinco jornadas com a moto que iremos usar já em janeiro. Não podia estar mais feliz por ver o resultado da minha dedicação contando sempre com o impulso fulcral dos meus patrocinadores. Temos cerca de 90 dias para trabalhar arduamente até ao início da grande maratona”, salientou.

Mário Patrão, piloto patrocinado pela A&MCOSMETICA, regressa às competições nos dias 25 a 27 de outubro altura em que vai cumprir mais uma edição da Baja Portalegre 500.

Até lá o piloto apoiado pela GARCIA&GOUVEIA irá voltar a treinar com a moto mais pequena que utiliza nas provas portuguesas!

A2 Comunicação

CNTT 2018 - Góis a 24 e 25 de Novembro


As temperaturas que continuam elevadas e o tempo seco levaram a que pela segunda vez o 25º Raide de Góis tivesse que ser novamente adiado devido ao parecer negativo das autoridades quanto à sua realização devido ao elevado risco de incêndio por força das elevadas temperaturas previstas pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

A prova do Góis Moto Clube, agendada para o próximo fim‑de‑semana (13 e 14 de Outubro) tem desta forma nova data marcada para o fim‑de‑semana de 24 e 25 de Novembro sendo desta forma a derradeira prova do campeonato nacional TT 2018.

FMP

Mário Patrão sobe 3 posições no Rali de Marrocos


Mário Patrão, piloto apoiado pelo CRÉDITO AGRICOLA, disputou hoje a segunda parte da etapa maratona ontem iniciada o que implicou ter sido ele próprio a fazer a habitual assistência à sua moto para além de ter pernoitado num acampamento montado para o efeito fora da cidade de Erfoud onde tem estado instalado o Bivouac.

O piloto de Seia apoiado pela GRAB&GO, que tem nesta participação no Rali de Marrocos mais uma importante etapa na sua preparação para o DAKAR 2019 que se irá disputar integralmente no Perú está também a fazer a primeira corrida com a KTM450RALLY que vai pilotar na mítica maratona sul-americana. 
Foi com ela que Mário Patrão piloto apoiado pela BAHCO hoje subiu três posições na classificação geral, estando agora na 12º posição a escassos 12 segundos de Sam Sunderland, o vencedor do Dakar 2017 e a 1m26s de entrar para o Top 10 que é encerrado por Stefan Svitko o 2º classificado da edição de 2016 do Dakar.

“Ontem tivemos a etapa maratona, ou seja, sem assistência mecânica. Foram 2 dias muito intensos e confesso que hoje tive alguma dificuldade em chegar ao final da etapa dado o estado dos pneus, mas ainda assim não baixámos os braços e conseguimos alcançar o 14º lugar na etapa e por via disso subir três posições na classificação geral onde estamos agora na 12ª posição. Amanhã será outro dia de luta, agora é hora de preparar o próximo road book e preparar a moto para amanhã! Agradeço o apoio dos meus patrocinadores por estarem sempre ao meu lado”, salientou à chegada a Erfoud o piloto patrocinado pela BAU SOLUTIONS.

O Rallye du Maroc prossegue amanhã com a derradeira etapa. Pela frente estará uma jornada com 475 quilómetros na qual serão disputados dois troços cronometrados. Um com 128 km e outro com 70 km.

A2 Comunicação

Rali de Marrocos - Paulo Gonçalves consegue cumprir a etapa maratona após queda


Depois de um primeiro dia da etapa maratona complicado, onde sofreu uma queda que poderia ter sido comprometedora para o desfecho da prova, Paulo Gonçalves conseguiu completar os dois dias e segurar o 5º lugar que ocupa neste momento:
"Cumprimos a etapa maratona, foram dois dias exigentes e depois da queda de ontem hoje acabei por adoptar um ritmo tranquilo para terminar a etapa sem quaisquer erros que pudessem comprometer a minha prestação.
A etapa tinha alguns perigos e uma queda poderia ser prejudicial a esta altura, contudo termino o dia com o sétimo melhor tempo e na geral seguro o 5.° lugar.
Amanhã vamos procurar terminar da melhor forma este Rali de Marrocos, focados na preparação do próximo Dakar!"

Foto: FB Paulo Gonçalves

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Cpto Espanhol 2018 | Tossa de Mar - Josep Garcia vence em Tossa de Mar


Depois de Jaume Beltriu ter vencido o 1º dia em Tossa de Mar, Josep Garcia não repetiu os erros cometidos no sábado e venceu o 2º dia de competição, destacado da concorrência encabeçada por Beltriu. No somatório dos dois dias, Garcia levou o triunfo para casa.
Uma palavra para o vencedor na Junior Open, Marc Sans, que conquistou o 3º lugar da Geral no sábado. Sem dúvida um piloto a acompanhar.

Vencedores no somatório dos 2 dias, à classe:
Josep García (Enduro1) 
Jaume Betriu (Enduro2) 
Jonathan Barragán (Enduro3) 
Marc Sans (Junior Open)
Elisson Medeiros (TN Junior) 
Sergio Navarro (TN Junior 125cc 2T) 
Joan Miquel Munar (Sénior B 2T) 
Jordi Casades (Sénior B 4T) 
David Martínez (Sénior C 2T) 
Iker Villanueva (Sénior C 4T) 
Manel Temprano (Máster)
Mireia Badia (Feminino)

Video:


Foto: FB Josep Garcia | ionadura

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

CIE 2018 | S. Giovanni Bianco - Holcombe sagra-se campeão absoluto em Itália

4 pontos separavam Holcombe e Salvini à partida para a última ronda. Holcombe venceu os 2 dias e conquistou o título.

➡Holcombe venceu todos as provas excepto a primeira, onde teve pontuação nula;
➡Mesmo sem o título absoluto, a temporada para Salvini foi muito positiva, com a vitória na classe 450 4T, diante de Thomas Oldrati que deixou tudo em aberto até à última prova;
➡Maurizio Micheluz conquistou o título nas 250 2T;
Davide Soreca é campeão na classe 300 2T, com 8 vitórias e 1 segundo lugar;
➡Rudy Moroni conquistou o título nas 250 4T apesar de uma temporada difícil;
➡À semelhança do mundial, Matteo Cavallo é campeão junior em Itália. 


Resultados:
(Clique para ampliar)

Video:



Foto: Italiano Enduro

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Diogo Vieira é Campeão Nacional de Super Enduro


Decorreu no passado fim de semana a última ronda do Campeonato Nacional de Super Enduro, desta vez em Vila Boa de Quires.

Uma noite decisiva, que viria a decidir os futuros campeões, onde os melhores pilotos nacionais derem espetáculo para o muito publico presente.

Diogo Vieira, com a sua Yamaha WR250 conseguiu desde logo um grande à vontade na pista mostrando ser o mais rápido nos treinos cronometrados e na Super Pole.

Na 1ª manga da noite o piloto conseguiu uma grande vitória, onde somou pontos importantes para a renovação do titulo nacional.

Na 2ª manga e 3ª manga, dois erros fizeram com que Diogo Vieira não conseguisse ultrapassar o seu adversário e assim terminar ambas as mangas em 2º lugar, contudo o objectivo principal foi alcançado com grande sucesso: Campeão Nacional de Super Enduro.

Sem duvida que o piloto da Raposeira está de parabéns, foi um campeonato bastante exigente, com pistas técnicas e adversários à altura.

"Estou bastante feliz com a conquista do campeonato. É uma modalidade muito exigente e conseguir revalidar o titulo contra alguns dos meus ídolos é algo que me deixa bastante satisfeito. Tive de trabalhar bastante para melhorar a minha condição física e a minha velocidade nas partes mais rápidas para conseguir atacar nas partes mais técnicas que é onde o meu background do trial se evidencia mais.
Por fim tenho de agradecer à Raposeira pois é quem permite que o comboio role e a todos os que me ajudaram tanto nas provas, como nos treinos bem como na preparação física e da mota. Este titulo também é vosso."

Raposeira Bubbles Racing Team

Lés-a-Lés Off-road 2018 - Praias algarvias como prémio de aventura


Prémio merecido depois da intensa canícula e muito pó durante o 4º Portugal de Lés-a-Lés Off Road, o mergulho nas praias de Albufeira foi tónico retemperador para os 350 mototuristas que, ao longo de 3 dias, descobriram o interior do País, desde Macedo de Cavaleiros e maioritariamente por caminhos de terra batida, estradões e outros trilhos. Afinal o calor que tanto massacrou o pelotão durante os 900 quilómetros desde o nordeste transmontano, com paragens em Castelo Branco e Reguengos de Monsaraz, não podia ter só coisas más e justificou plenamente o peso dos calções de banho na bagagem.

Com a miragem do Algarve a servir de estímulo adicional para a última etapa, a serena saída da cidade reguenguense foi acompanhada pela frescura matinal e menos pó do que esperado, até pela humidade nas proximidades da maior lago artificial da Europa. Nascer do dia com paisagens de enorme beleza sublinhada pela luz madrugadora e aromas inconfundíveis do Alentejo na passagem pelo Alqueva, criando
vontade de rolar tranquilamente, para desfrutar ao máximo e não interromper o silêncio que ainda se fazia ouvir…

Numa edição bem mais verde do que a de 2017, tempo para atravessar extensos olivais de cultura intensiva e ainda para inusitado desvio, mesmo antes de Cabeça Gorda, com cavalos à solta a obrigarem a improviso de percurso. Nada que atrapalhasse as gentes do off-road que, rapidamente , descobriram o melhor caminho para chegar sem demora maior ao Oásis da KTM em paragem por todos aproveitada para recuperar energias. Dos ex-campeões nacionais de Enduro e Todo-o-Terreno aos estreantes na aventura organizada pela Federação de Motociclismo de Portugal, de António Oliveira, Pedro Belchior, Bernardo Villar, Rodrigo Amaral, Luís Ferreira, Miguel Farrajota ou Rodrigo Sampaio ao grande grupo internacional, com o pelotão espanhol à cabeça.

Com a chegada das planuras alentejanas mudou também o perfil das pistas, mais técnicas em paisagem ondulante criadora de sentimento de tranquilidade que só o Alentejo consegue oferecer. O passar dos dias e o natural acumular de cansaço ao longo dos quilómetros, também ditou ritmos mais moderados, poupando energias para a Serra do Caldeirão, de condução prazenteira para todas as moto, com curvas bem desenhadas, até ao Oásis Honda. Onde, de forma condizente com a povoação mais próxima (Felizes) os participantes foram brindados com cachorros quentes e bolas de Berlim, gelatina e fruta, preparando a caravana para os 50 quilómetros final. E ajudando a minimizar os ‘estragos’ de um dia que viu a temperatura subir até aos 35 graus na passagem por Castro Verde.

Descidas e subidas, em pisos que confirmam o acerto da escolha desta região para os Seis Dias de Enduro de Veteranos, em 2019, incluindo inclinação realmente íngreme e em pedra solta, desaconselhada aos menos experientes ou mais ciosos da conservação das suas motos. Já com aroma salgado do mar, aproximação através de surpreendentes caminhos rurais, por entre hortas e pomares, até chegar ao Algarve turístico na Praia dos Pescadores. Onde, além de grande festa, houve tempo para entregar as últimas centenas de árvores autóctones no âmbito da campanha Reflorestar Portugal de Lés-a-Lés. Que levou árvores e banda desenhada aos mais pequenos dos concelhos atravessados, reforçando a importância social do maior evento mototurístico em fora de estrada realizado na Europa.


FMP

Lés-a-Lés Off-road - Alentejo de todas as paixões em Off-road


De Castelo Branco a Reguengos de Monsaraz foram quase 300 os quilómetros percorridos pelos 350 mototuristas que participam no 4.º Portugal de Lés-a-Lés, levando na bagagem desejos de descoberta, muita animação e… árvores para reflorestar o País, de Norte a Sul. No maior evento mototurístico da Europa em fora de estrada, atraindo também motociclistas de Espanha (muitos!), França, Suíça, Alemanha, Bélgica, Luxemburgo e Inglaterra, tempo para reavivar a iniciativa lançada pela Federação de Motociclismo de Portugal em 2017, altura em que levou milhares de árvores autóctones às populações mais flageladas pelos incêndios. Agora, a preocupação maior passa por sensibilizar crianças dos concelhos atravessados pelo evento turístico, plantando sobreiros nos recreios das escolas e oferecendo árvores para que os petizes possam ver crescer nos seus terrenos. Espécies autóctones, pois claro, que são acompanhadas por banda desenhada para que os mais novos reconheçam as vantagens de proteger a floresta nacional.

Algo que a caravana pôde apreciar na ligação desde Castelo Branco, deixando para trás o muito pó que o tempo quente e seco exponencia nos eucaliptais para, já depois da travessia do rio Tejo, em Vila Velha do Ródão, começar a ver outras espécies, nomeadamente as oliveiras, sobreiros e azinheiras predominantes nas paisagens alentejanas. O bom piso que acolheu os aventureiros até Castelo de Vide, aumentou o prazer de condução e ajudou a suportar melhor a temperatura que teimava em não baixar dos 30 graus. Valeu a frescura do Parque João José da Luz onde o Oásis montado pela KTM reforçou ares aventureiros, com camião de assistência do Rali Dakar e onde foi possível limpar pó do capacete e óculos com ar comprimido. Como se fossem pilotos profissionais…

Preparação para saída espectacular da “Sintra do Alentejo” através do Parque Natural da Serra de S. Mamede, com subida rumo ao alto da Nossa Senhora da Penha de onde é possível desfrutar de vistas fabulosas sobre a planície alentejana e aproveitar as boas estradas na viagem até Portalegre. Passagem pela cidade com maior historial TT em Portugal, deixando para trás as serras, passando o pelotão a apreciar os montes… alentejanos. Estradões, ora mais rápidos ora mais técnicos, por entre centenários sobreiros, e em melhor estado de conservação que algumas estradas municipais atravessadas, como a M1150 que, com tantos buracos e saltos, mais parecia pista de motocrosse. À atenção dos autarcas e entidades responsáveis.

Tempo também para as longas retas alentejanas, em bom asfalto e com as tradicionais lombas, alternando com as típicas pistas das bajas alentejanas, até Monforte. Panorama que se manteve até São Romão de Ciladas, onde a Honda instalou mais um agradável Oásis para ajudar a combater o calor e o pó. E reforçar o ânimo para o troço final da etapa, até Reguengos de Monsaraz, onde se chegaria depois de rápida passagem pelo importante castelo de onde é possível apreciar parte do grande lago do Alqueva. Depois, curta deslocação até àquela que desde 1838 é sede de concelho, Reguengos de Monsaraz, onde os terapeutas do IMT, Instituto de Medicina Tradicional trataram de algumas pequenas lesões e proporcionaram massagens aos participantes. Preparação para a última tirada do 4º Portugal de Lés-a-Lés Off-Road, que vai levar, no sábado, a caravana até Albufeira, onde serão entregues as últimas centenas de árvores a quem aparecer no Jardim dos Pescadores durante a tarde. Isto depois de na véspera terem sido partilhadas com petizes da Escola Básica de Alcains, em Castelo de Branco, e do Jardim de Infância da Caridade, em Reguengos de Monsaraz. Onde o presidente da Câmara Municipal, José Calixto ajudou a plantar o sobreiro e sublinhou a importância da escolha pelas árvores da região para continuar a reflorestar Portugal de Lés-a-Lés.

FMP