quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Gonçalo Reis em segundo na jornada dupla de Valpaços


(Clique para ampliar)

Fotos: OneShotFoto e Team Solposto

Ronda azarada para o Momento TT Racing Team em Valpaços


Valpaços foi palco da segunda prova da temporada, depois de uma ronda de abertura que tinha sido marcada pela chuva.

Os dois pilotos da equipa acabaram por ter falta de sorte em ambos os dias. Logo na fase inicial do 1º dia, André Marques sofreu uma aparatosa queda, desistindo com uma lesão contraída no pulso. Felizmente a lesão não foi grave, não comprometendo assim o resto da temporada de Enduro, nem o inicio do nacional de Motocross.

Nos Verdes 3, Iuri Barbosa foi regular na 1ª etapa, terminando com o 8º lugar. Já no 2º dia as coisas correram de forma diferente, com o piloto da KTM a ser atingido no olho por uma pedra projetada, que levou mesmo a que tivesse de parar para ser assistido pela equipa médica. Conseguiu ainda assim retomar a prova, mesmo com uma penalização pelo tempo perdido na assistência médica, baixando para 9º. Com os contratempos, somou preciosos pontos que o deixam perto do Top5 no campeonato.

Tiago Miguel comentou que “foi uma prova marcada pelo azar. A lesão do André e os problemas que o Iuri sofreu no 2º dia, comprometeram o nosso resultados, mas vamos continuar o nosso trabalho para o resto do campeonato de Enduro, bem como estar na máxima força no Motocross.”

Comunicado de Imprensa Momento TT Racing

Ecmoto no pódio do Enduro de Valpaços


Valpaços acolheu a segunda ronda da temporada, naquela que foi a única prova do ano com dois dias, com um percurso marcado pela beleza da zona norte, que foi do agrado da generalidade dos pilotos, bem como as especiais cronometradas que estiveram nas melhores condições.

O Team Ecmoto voltou a estar presente em diversas categorias, com sortes diferentes para os vários atletas em ação.

Ulisses Rossa conquistou o seu primeiro pódio! No ano em que está pela primeira vez na categoria Super Veteranos e a fazer toda a temporada, levou a sua Beta ao Top5 em ambos os dias de prova, o que valeu um 3º posto no resultado do somatório final, logo atrás do Campeão da classe na temporada passada. Um resultado que demonstra a evolução registada nas primeiras jornadas, e abre boas expectativas para o resto do campeonato.

Na Youth Cup, categoria reservada às esperanças no futuro da modalidade, Pedro Leitão foi também um piloto em evidência, sendo o 4º classificado na geral dos dois dias, depois de ter sido 8º no primeiro dia e 4º no segundo.

Na classe Veteranos, as coisas não correram da melhor forma para a dupla de pilotos apoiada pela Briopul. Gabriel Seco sofreu uma aparatosa queda, acabando por abandonar ainda no 1º dia de prova. Pedro Rodrigues esteve perto de entrar no top10 do primeiro dia, concluindo em 11º, enquanto que no 2º dia de prova não viria a completar a etapa.

Em termos de classe Hobby, boa evolução para João Marques, conseguindo desta vez ser 14º na geral da prova, enquanto Alberto Carvalho entrava no Top20, concluindo em 19º.

Uma jornada que registou o primeiro pódio para os pilotos Ecmoto apoiados pela Caixa de Crédito Agrícola, havendo agora uma paragem de mais de um mês, dando assim tempo para uma melhor preparação das próximas jornadas do campeonato.

Comunicado de Imprensa Team Ecmoto

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Pedro “Botas” alcança primeiro pódio da época no Nacional de Enduro


O piloto amarantino, Pedro “Botas” esteve presente na segunda prova do Campeonato Nacional de Enduro que decorreu no passado fim-de-semana na cidade transmontana de Valpaços. Prova esta de dupla jornada, realizada no Sábado e Domingo, com um percurso de aproximadamente 45Km, como habitual com as 3 especiais percorridas por 3 vezes, em cada um dos dias.

Esta foi a primeira prova do Troféu Sherco e o piloto que este ano corre de SHERCO 300 SEF-R SIX DAYS, conseguiu um saboroso pódio nesta competição no acumulado dos dois dias, Sábado e Domingo.

“Foram dois dias duros, devido ao estado do piso, bastante enlameado, principalmente nas ligações, que tinham controlos muito apertados e tinha que ir num ritmo elevado para não penalizar,” começou por referir o piloto Amarantino que nesta segunda prova já mostrou uma forte evolução relativamente à primeira prova do Campeonato.

“No primeiro dia de prova senti-me muito bem com a minha mota Sherco 300, isto devido a alguma afinações que fiz nos dias que antecederam a prova, consegui rodar nos tempos dos pilotos mais rápidos da minha classe, Verdes II e do Troféu Sherco, na penúltima especial estava a apenas 3 segundos do segundo lugar da classe, entrei na especial determinado a ganhar esses 3 segundos, mas como ia a dar tudo, não consegui evitar uma queda e perdi o pódio da classe.”

No segundo dia de prova, Pedro “Botas” referiu, “Comecei o dia afectado com a queda do dia anterior, mas sempre com o objectivo de fazer o melhor possível, ao longo do dia fui melhorando os tempos nas especiais, mas não consegui ir além do 6º lugar, apesar de ser um bom resultado, eu queria mais.”

No balanço desta dupla jornada estou bastante satisfeito, pois foi notória a minha evolução, alcancei o primeiro pódio da época, é sinal que o trabalho que venho a realizar com a minha mota Sherco, com a ajuda da MotoDreams e o trabalho físico com o ginásio Advanced Training, estão a ser feitos no sentido correcto e isso deixa-me com muito alento para as próximas provas.”

Depois da anulação do Enduro da Figueira, a próxima prova do Campeonato Nacional de Enduro será em Vila de Rei no próximo dia 2 de Abril.

Comunicado de Imprensa Pedro Botas

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

CNE 2017 - Ventura a dobrar em Valpaços


Com menos de um mês de intervalo entre provas o Campeonato Nacional de Enduro - CFL regressou no passado fim-de-semana aos trilhos de Valpaços para na quarta edição do Enduro Rota do Folar se realizar a segunda prova do ano 2017 para a modalidade, sendo também a primeira corrida com dois dias de duração.

Com pouco menos de centena e meia de participantes a prova desenhada pelo Usprigozus - Clube TT de Vilarandelo teve um percurso com cerca de 45 quilómetros e as habituais três especiais, com toda a caravana a enfrentar o piso transmontano num fim-de-semana sem chuva e excelentes condições.

Tal como aconteceu na primeira ronda do campeonato, realizada em Góis no final de Janeiro, foi Diogo Ventura quem liderou a classificação global desde os primeiros momentos de ambos os dias de prova, O piloto de Góis foi quem mais especiais venceu ao longo do fim-de-semana - 15 num total de 21 realizadas - assegurando assim a 'dobradinha' na prova e reforçando a liderança do campeonato face a Gonçalo Reis, o segundo em ambos os dias de prova. A fechar o pódio absoluto no primeiro dia terminou Daniel Carracedo, com João Vivas a subir ao terceiro lugar no dia de despedida de Valpaços, o dia mais longo da dupla ronda transmontana.

Não faltaram igualmente duelos bastante animados pelas vitórias nas restantes categorias que integram o campeonato nacional, que terá a sua terceira paragem do calendário 2017 no próximo dia 2 de Abril em Vila de Rei, bem no centro de Portugal.

FMP

João Dias com objectivo atingido em Valpaços


João Dias, conseguiu terminar os dois dias de Valpaços na classe Open!
Sendo a principal alteração para a época de 2017, a participação de João Dias na classe open, havia de forma natural alguma espectativa do próprio em saber o que lhe esperava neste novo desafio.
Sem duvida alguma que será um ano duro, de grandes desafios mas para já o primeiro esta superado.
Valpaços contava com uma jornada dupla, onde os pilotos de open faziam 3 voltas ao percurso no sábado e 4 no domingo. Foram 5h de corrida no sábado e 6h40 de corrida no domingo, um fim de semana  super desgastante, principalmente para quem não tinha competições desde Setembro de 2016.
O dia de sábado foi muito complicado uma vez que foi difícil para João Dias encontrar o ritmo certo de competição, obrigando-o a grande desgaste, mas domingo, mais solto e habituado conseguiu cumprir todo o dia de competição.

“Não foi um fds fácil, admito alguma ansiedade por desconhecer o que me esperava, aleado ao facto de saber que tenho andado muito pouco de moto para poder enfrentar desafios deste nível. 
Foi notório a experiencia adquirida dos últimos 3 anos de enduro que me permitiu concluir estes dois dias de competição. 
A Open é sem duvida de uma exigência superior a classe do ano passado, mas estamos cá ;)
Saio de Valpaços com um 14º (sábado) e  12º ( Domingo) e super motivado e contente pelo que fiz e fizeram por mim, sim, tem que haver sempre um grande grupo para que as coisas aconteçam.
 O João Paulo que me atura durante todas estas horas, a AGmotosport por toda a assistência e preparação da maquina, ao Rui da MXT pela preparação das suspensões noite fora a todos  ao amigos e conhecidos que apoiam e obviamente, os sponsors , o que seria de mim sem os  sponsors…."

Comunicado de Imprensa João Dias

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Hell´s Gate 2017 - Jarvis vence pela 5ª vez


1. Graham JARVIS - Husqvarna: 3H08’23
2. Travis TEASDALE - KTM: +04’11”
3. Wade Young - Sherco: 5’19”
4. Mario ROMAN - Sherco: +8’38
5. Philipp BERTL - Beta: +1 Lap



Fausto Frade sente dificuldades no Enduro de Valpaços


Fausto Frade voltou ao CNE com muita vontade de andar de moto, porém longe do ritmo e da vitalidade que lhe são conhecidos. 

No passado fim-de-semana a caravana do Campeonato Nacional de Enduro rumou a Valpaços para uma jornada dupla de competição, onde o piloto das terras do Bandarra percorreu por 7 vezes um percurso de 45Km com 3 “especiais” cronometradas, desenhado a rigor pelo Usprigozus Clube TT de Vilarandelo.

No primeiro dia de corrida, logo na primeira Cross Test, Fausto Frade errou a percepção do reconhecimento da pista e entrou demasiado rápido num salto curto, o que lhe provocou uma grande queda deixando-o bastante indisposto para o resto da competição e com algumas mazelas físicas. 

O piloto de Trancoso da AG Motosport / Móveis Torres, aos comandos de uma Yamaha, afirmou: 
“A moto esteve irrepreensível durante estes dois dias de corrida, porém não me senti bem durante toda a competição. Infelizmente foi uma corrida sofrida onde não me diverti e onde me faltaram as forças durante muito tempo! Senti-me sem energia e muito desconcentrado, o que me levou a cometer muitos erros e a desgastar-me muito mais no percurso o que se traduziu na falta de ritmo nas especiais.”

Fausto Frade considera que foi uma corrida onde o sacrifício foi superior à paixão pelo desporto motorizado e que o apoio da sua equipa, dos seus patrocinadores e da sua família foram determinantes para terminar esta corrida. 
“Sinceramente, ainda não sei muito bem como concluí o segundo dia de corrida. 3 anos fora das corridas é muito tempo… Desde o primeiro momento percebi que iria sofrer muito durante as quatro voltas ao percurso no segundo dia, visto não sentir o meu corpo reagir de forma positiva. Agradeço ao José Torres, à minha mãe, irmãos e namorada, e à minha equipa por me terem dado forças para continuar em prova.”

O Piloto de Trancoso obteve um 10º lugar no primeiro dia e um 11º lugar no segundo, ambos da classe Open. O piloto da AG Motosport / Móveis Torres afirma: “Vou recuperar desta corrida e tentar perceber o que aconteceu para me preparar ao nível físico e psicológico para a próxima, para me voltar a divertir a andar de moto, e atingir melhores resultados.”

Comunicado de Imprensa Fausto Frade